Marinha intensifica monitoramento no entorno do Arquipélago de Abrolhos

Foi observada tendência de deslocamento de manchas de óleo em direção à área

Navio da MB realizando monitoramento nas redondezas de Abrolhos. Foto: Divulgação/Marinha do Brasil

O Grupo de Avaliação e Acompanhamento (GAA) intensificou o monitoramento na área do entorno do Arquipélago de Abrolhos, realizando o deslocamento de mais meios para a região costeira do extremo sul da Bahia.

A tendência de deslocamento de vestígios de óleo à região foi observada após registros já nas praias do município de Belmonte, a cerca de 100 quilômetros do arquipélago.

Conforme nota divulgada pelo GAA, o monitoramento foi reforçado com o deslocamento de navios da Marinha e da Petrobras. Eles “ficarão posicionados na área constante do mapa (abaixo), de modo a monitorar uma área de cerca de 22 mil quilômetros quadrados no entorno do Arquipélago de Abrolhos, área equivalente ao Estado de Sergipe“.

Imagem: Reprodução/Marinha do Brasil

A nota diz ainda que o “esforço no mar envolve ainda a mobilização de barcos pesqueiros, bem como todas as embarcações em trânsito na região, que serão orientadas pelo canal de rádio dos navios da Marinha nas proximidades do Arquipélago de Abrolhos, em português e inglês“.

Petrobras esclarece sobre suposta mancha de óleo

No fim da manhã desta quarta-feira (30), um helicóptero da Petrobras realizou um sobrevoo na mesma região em que pesquisadores detectaram uma suposta mancha de óleo via satélite europeu.

Leia mais: Pesquisador aponta que vazamento de óleo pode ocorrer abaixo da superfície no sul da Bahia

Como resultado da vistoria e já divulgado pela Marinha, não foi identificada nenhuma mancha de óleo no entorno de Abrolhos.

Em nota enviada à imprensa, a Petrobras “ressalta que não realiza nenhuma operação de exploração e produção de petróleo na área”. Também negou que as amostras de óleo recolhidas das prais nordestinas tenham características compatíveis com as reservas do pré-sal.

A nota também diz:

Mesmo não sendo a responsável pelo vazamento, a companhia tem atuado com força-tarefa de 500 agentes ambientais em diferentes localidades e disponibilizou mais de 10 mil equipamentos de proteção individual, embarcações, drones e aeronave, tendo recolhido cerca de 400 toneladas de resíduos desde o início dos trabalhos.

A Petrobras reforça que o foco permanece no apoio às atividades de contenção e limpeza das áreas atingidas.

Imagem: Divulgação/Petrobras

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui