Voluntários de projeto de escuta em escolas de Teixeira realizam confraternização

“Aprendendo a transformar a mente” já atendeu cerca de 400 alunos e funciona em duas unidades de ensino

Confraternização entre voluntários de projeto de escuta em Teixeira: Fotos: Arquivo pessoal

Em abril deste ano, o jornal OSollo estampou na capa de sua edição 349 a reportagem sobre um projeto que acabava de ganhar forma na Escola Municipal Clélia das Graças Figueredo Pinto, em Teixeira de Freitas.

Profissionais voluntários, família, professores, coordenação e direção da escola, uma sala adaptada e muitos… muitos problemas. A proposta era atender alunos, promovendo o diálogo, o acolhimento e a transformação na mente de cada um.

Conquistas e resultados foram comemorados durante almoço

Os meses passaram e uma confraternização aconteceu no último sábado, 14 de dezembro, para celebrar as conquistas e os resultados do projeto. Um almoço reuniu os colaboradores em um salão da Igreja Batista Monte Castelo.

“Aprendendo a transformar a mente” nasceu da percepção da professora de matemática Josélia Nascimento – que é também psicanalista – com relação a situações preocupantes em sala de aula e com o comportamento dos alunos pela escola.

Turma de coaching recebe certificação

Segundo a idealizadora, de lá para cá, cerca de 400 alunos já passaram ou são acompanhados pelo grupo de voluntários. Em 2019, duas turmas foram também certificadas em curso de coaching.

Com o tempo, – e de modo muito positivo – alguns pais de estudantes passaram a ser ouvidos e orientados. Não demorou muito para que o projeto ganhasse os sites de notícias, além de reportagens para emissoras de TV, sendo premiado como destaque na rede de ensino do Município.

A Escola Clélia, no bairro Santa Rita, onde o projeto começou

Com a ampla divulgação, mais voluntários têm se juntado. Há pouco tempo, a Escola Municipal Gessé Inácio do Nascimento se tornou uma extensão do projeto, tendo já  sido atendidos cerca de 10 alunos e com uma sala de escuta praticamente pronta.

Através da Secretaria de Educação, quem atua no voluntariado tem recebido certificações, como aconteceu na confraternização de fechamento do ano.

Voluntários foram certificados pelo Poder Público

O apoio vem também do Poder Judiciário. Através da Vara da Infância e da Juventude, na pessoa do doutor Argenildo Fernandes, uma campanha para construir um consultório com duas salas de atendimento e uma sala de espera dentro da Escola Clélia tem sido levantada.

E o jornal OSollo segue acompanhando e apoiando essa iniciativa. Você que quer fazer parte pode procurar as escolas participantes e contribua para o desenvolvimento emocional de nossas crianças e adolescentes!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui