Vir a ser

“Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” (2 Coríntios 5.17)

A vida de fé em Cristo, a vida genuinamente cristã, é um constante e permanente “vir a ser”. Porque, se alguém está em Cristo, é nova criação. É nova, tanto num ato como num processo. É reconciliada com Deus e segue sempre sendo renovada. Pois se assim não fosse, significaria que já teríamos alcançado o ponto máximo, o último estágio desejável em maturidade, saúde, santidade e identidade. E não é o caso. Há sempre algo que devemos ser e ainda não somos e que somos, mas que deve ser revisto. Há sempre uma compreensão que ainda não nos foi possível. Há sempre uma visão que nos escapuliu e para a qual nosso olhos precisam ser abertos. Nossas perspectivas melhoradas. Quanto mais essa obra de renovação, essa reformulação de nós mesmos avança, mais honramos a Deus, mais o amor prevalece em nossas vidas, mais aprendemos a servimos e mais humanos nos tornamos.

Essa renovação não significa um abandono de tudo ou uma negação de tudo. É certo que sempre haverá algo a ser deixado para trás. São “as coisas antigas” cujo valor deve ser revisto e que precisam ser superadas. São equívocos, ilusões e erros de interpretação da vida e até mesmo de Deus. Coisas que, na medida em que amadurecemos, crescemos e somos esclarecidos pelo Espírito Santo, percebemos como “coisas antigas” e que devem ser deixadas para trás. Assim, essa “nova edificação” que Deus realiza em nós é também e em parte, uma desconstrução. As vezes, uma desconstrução do que nos dava conforto e segurança. Mas que precisa ser deixada para trás. Deixar, desconstruir, pode doer. Mas é assim que comportamentos mudam, atitudes mudam e nós mudamos.

Na medida em que essas “coisas antigas” ficam e novas surgem, mais saúde nos habita. Mais santidade se estabelece em nosso modo de viver. Seguiremos sempre com algo a ser revisto, mas o novo irá tomando lugar. E o novo que vem de Deus jamais se torna velho. Não sofre de obsolescência. Enquanto existirmos aqui, será preciso reformas, renovações. Enquanto existirmos aqui viveremos o paradoxo do já, mas ainda não. Renovados por Deus, enquanto nosso corpo seguir se desgastando e perdendo vigor, nosso espirito seguirá sendo renovado e fortalecido. Que esteja sendo assim com você. Que outros percebam essa manifestação da vida eterna em sua vida. Que você atraia outros a este caminho de crer, andar com Cristo e ser renovado!

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui