Verdade sobre nós

“Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mateus 11.28)

O convite de Jesus é para todos, mas nem todos se identificam com ele. Nem todos percebem o quanto este convite tem a ver consigo. Ainda não se percebem cansados ou sobrecarregados. Muitos porque estão em fuga, sem parar para ouvir o próprio coração. Gosto da poesia da bossa nova que repreende o próprio coração, chamando-o de insensato (Insensatez – Tom Jobim). Jeremias foi mais duro, chamando-o de perverso, enganoso, portador de um mal incurável (Jr 17.9). Graças a Deus temos no mundo, e agindo entre nós, o Espírito Santo que nos ajuda a perceber a insensatez do coração e a falta que a presença de Deus nos faz! Ele trabalha pela saúde existencial. E podemos, voluntariamente, pedir sua ação iluminadora sobre nós! (Sl 139.23-24). Ao menor sinal de lucidez sobre a vida, perceberemos o quanto nos enquadramos e nos é oportuno o convite de Jesus. Pois teremos consciência de verdades sobre nós que tentamos ignorar.

Em meio aos dias e estações da vida, algumas vezes as circunstâncias nos permitirão uma preciosa oportunidade para nos compreender cansados e sobrecarregados. Por exemplo, diante da sensação de que somos incompetentes para a existência, para dar sentido à vida, mesmo sendo competentes para as tarefas, atividades e projetos que nos ocupam e até realizam. A incompetência existencial é a percepção de que, mesmo sendo bem sucedidos, queremos mais da vida. Queremos o que não conseguimos produzir ou conquistar sozinhos. Temos um anseio pelo que é eterno, por um amor de natureza divina. Mas cometemos o erro frequente de super dimensionar nossas obras e conquistas, o que conseguimos conquistar por nós mesmos, como se fossem bastante. Precisamos de Deus, de sua graça e amor. Precisamos de muitas cosias , que somente Ele pode nos dar.

Precisamos de um perdão definitivo e inquestionável. Precisamos de comunhão e pertencimento, direção e propósitos que não sejam apenas relativos às coisas materiais e transitórias. Precisamos de Deus. Sua presença abre em nossa vida uma nova dimensão. Uma dimensão caracterizada pela graça que supera nossas fraquezas e imperfeições. Precisamos de amor, amor incondicional, ofertado irrevogavelmente a nós sem precisarmos fazer promessas ou esconder quem somos de verdade. Por tudo isso e muito mais é que Jesus dirige-se a nós convidando-nos a Si. Ele sabe o que precisamos e convidando-nos a olhar com mais atenção para dentro e reconhecer a falta que sentimos do que somente Ele pode nos dar. Há um descanso que só Ele tem, por causa de quem Ele é, e somente Ele é. O que fez por nós, ninguém poderia fazer. Ir a Jesus é um ato de fé. É crer e ir. É tão simples e ao mesmo tempo tão sublime que nem parece ser só isso, uma vez que é tanto! Bem-aventurados, muito felizes, os que ouvem Seu convite e dizem “sim”.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui