Tempo para refletir

“Maria, porém, guardava todas essas coisas e sobre elas refletia em seu coração.” (Lucas 2.19) 

O natal é a celebração do nascimento de Jesus, o Salvador. Crendo nele recebemos perdão e vida. As Escrituras nos asseguram isso. Ser cristão é estar neste caminho de fé e seguimento a Cristo. Nestes dias que antecedem o natal, temos olhado a cena descrita por Lucas no capítulo 2 de seu Evangelho, e procurado lições para nossa vida diária. Lições que alimentem nossa espiritualidade, nossa jornada como discípulos. Para que nossas atitudes e comportamentos sejam fortalecidos e nosso jeito de viver confirme nosso compromisso de fé. Por isso chamo sua atenção hoje para o caráter reflexivo da espiritualidade cristã. Podemos percebe-lo em Maria, na cena do natal. Ela guardava tudo em seu coração e refletia.

Você tem parado para pensar? Qual o seu tempo de reação diante das lutas e controvérsias? Nosso mundo ganhou muita velocidade ao longo dos anos. Carros, computadores, telefones celulares… são muitas tecnologias acelerando vida. Queremos perder peso rápido e ficar ricos rápido. Queremos ser pacientes, mas que não demore muito. A vida tem pressa. Essa ideia passou a nos habitar. Mas nem tudo na vida se beneficia da pressa, da velocidade. Não se amadurece rapidamente. Não se cresce espiritualmente da noite para o dia. O crescimento espiritual tem um ritmo próprio e não acontece simplesmente porque aprendemos coisas sobre Deus. Ele exige mais. Exige uma transformação que envolve morte e vida. Nosso velho ser precisa morrer e dar lugar a um novo. Um eu curado e refeito. Isso leva tempo, pois somos muito resistentes. Exige andar com Deus diariamente.

As vezes enfrentamos crises e sofremos reveses e as coisas deixam de seguir o fluxo que gostaríamos. Notícias ruins nos alcançam. Esse é um momento que nos força a parar e refletir. A ouvir mais e falar menos. A orar, mais para ouvir Deus do que para pedir coisas. Mas precisamos aprender a refletir também em meio a momentos bons. Quando bênçãos e mais bênçãos estão chegando e nos sentirmos amados e cuidados por Deus. Há algo que Deus deseja que façamos? Como estão as pessoas ao meu lado, enquanto eu experimento tantas bençãos? E se elas faltassem, o que mudaria em mim? Quais as minhas motivações? São todas perguntas importantes sobre as quais vale a pena refletir. Cultive a capacidade de guardar coisas no coração e refletir. Ore e peça a Deus para tornar você alguém interiormente frutífero e profundo. Busque isso! O silêncio e a quietude também são formas de adoração.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui