Teixeira: Um ano sem Gel Lopes e sem qualquer notícia das investigações

No dia 27 de fevereiro de 2014, foi assassinado em Teixeira de Freitas o jornalista Geolino Lopes Xavier, 44 anos, conhecido por Gel Lopes. O crime aconteceu às 21 horas desse dia, na rua da Saudade, em pleno centro de Teixeira de Freitas. O jornalista foi atingido por 6 disparos, sendo que arma usada para praticar o crime foi uma pistola 9mm. Gel estava com um amigo e a namorada dentro do carro de sua empresa, o Portal N3, site voltado para assuntos diversos e que fazia seguidas denúncias a políticos da região.

Geo já ocupara por uma vez o cargo de vereador por Teixeira de Freitas, ele que representava o distrito de Santo Antônio, terra de suas origens. No momento do crime, acabara de sair do carro de jornalista um colega conhecido como Djalma do Esporte, que, recém operado, estava de carona no veículo da vítima. Dos tiros desferidos contra Gel Lopes, um atingiu a namorada, que estava no banco de trás e foi ferida na perna. Os assassinos (ou assassino?) fugiram do local, tomando rumo ignorado. Na época, o delegado Marcus Vinicius, coordenador da 8ª Coorpin, que assumiu o inquérito do crime, garantiu que via o evento praticamente esclarecido.

Hoje, um ano depois do acontecido, não há nem notícias se o caso está sendo investigado. Um dos diretores da Associação de Imprensa do Extremo Sul da Bahia, Leco Gomes, ouvido no dia desse triste aniversário, comentou: “Quando um jornalista é assassinado, a liberdade e nós morremos um pouco também. É preciso que se esclareça o assassinato de Jeolino Lopes Xavier.”

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui