Teixeira: Geraldo Rufino participa da Semana Sebrae de Capacitação Empresarial

Teixeirenses assistem a Geraldo Rufino. Fotos: Elizeu Portugal/OSollo

Na noite desta quinta-feira, dia 03, o palestrante Geraldo Rufino esteve em Teixeira de Freitas, dentro da programação da Semana Sebrae de Capacitação Empresarial.

Durante evento, centenas de pessoas acompanharam a história do catador de latas que, atualmente, fatura milhões de reais por ano em seu negócio de reciclagem de caminhões.

A palestra Quais são os seus valores aconteceu no Cenarium Eventos.

Alex Brito, do Sebrae; Irismar Portela, diretor operacional do Sicoob; Petrônio César, gerente de relacionamento do Sicoob; o palestrante Geraldo Rufino; Gilney Lopes, apresentador e consultor do Sebrae, e Lucas Caitité, do Instituto Ser

Na manhã do mesmo dia, Geraldo Rufino reuniu quase 200 pessoas em Medeiros Neto. Segundo Alex Brito, gerente regional do Sebrae, é uma satisfação trazer essa história empreendedora para a região.

Alex Brito, gerente regional do Sebrae

Um nome que atrai bastante. Poder compartilhar a experiência, o conhecimento, a motivação desse cara fantástico que começou com muita dificuldade e chegou a empreender grandes negócios pelo Brasil é maravilhoso“, disse Alex.

Estiveram presentes o secretário de Desenvolvimento Econômico de Teixeira de Freitas, Flávio Guimarães; o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas, Edésio Pereira, entre diversos empresários da cidade e da região.

No ato da inscrição, os participantes entregaram doações ao 13º Batalhão da Polícia Militar, destinadas a um evento especial de Dia das Crianças. [Leia mais aqui]

O palestrante

Geraldo Rufino, empreendedor

Geraldo Rufino é mineiro e começou a trabalhar aos 11 anos de idade. Ele pegava latinhas em um aterro próximo a uma favela na zona oeste de São Paulo.

Hoje, ele é presidente da JR Diesel, maior empresa de reciclagem de caminhões do Brasil, gerando cerca de 150 empregos diretos e uma receita bruta anual que ultrapassa os R$ 50 milhões.

Em sua bagagem devida, traz superação após falir por seis vezes, enfrentando prejuízos e se reerguendo a cada momento.

Eu trago um pouquinho da minha história para as pessoas pararem de acreditar no ‘coitadismo’, que somos terceiro mundo, olhar o Brasil de outra forma, se fortalecer e empreender onde está“, disse.

Ter ou não um CNPJ é consequência. Os problemas nunca foram maiores do que eu, se eu posso as pessoas também podem“, acrescentou.

Em sua fala, ele começa apresentando a simplicidade das coisas e termina com o objetivo de fazer as pessoas saírem melhor que chegaram.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui