Teixeira de Freitas comemora o Dia da Consciência Negra

Uma série de atrações marcam este dia 20 de Novembro, Dia Nacional da Consciência Negra. O Departamento de Cultura da Prefeitura Municipal de Teixeira de Freitas, que tem em seus quadros o professor Wesley, especialista em Cultura Negra, preparou a festa “ Ko to owo méji keba” que começou as 8 da manhã com apresentação da Orquestra 9 de Maio, 9.15 da Manhã, a “Historia dos Povos” pela Escola Alcenor Barbosa, 9.35, “Escola, Dança e Carnaval” pela Escola João Mendonça, 9.55, “Escola Culinária” pela Escola Gilberto Cardoso, 10.20, “Costumes e Tradições” pela Escola Shineider Correia, 10.40, “O Negro Hoje” pela Escola Antônio Chicon Sobrinho e 11:00 Encerramento. Houve ainda Exposição de Maquete e Material Escolar da Escola Cléria Figueiredo Pinto.

O Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, foi instituído oficialmente pela lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011. A data faz referência à morte de Zumbi, o então líder do Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, na região Nordeste do Brasil. Zumbi foi morto em 1695, na referida data, por bandeirantes liderados por Domingos Jorge Velho.

A data de sua morte, descoberta por historiadores no início da década de 1970, motivou membros do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial, em um congresso realizado em 1978, no contexto da Ditadura Militar Brasileira, a elegerem a figura de Zumbi como um símbolo da luta e resistência dos negros escravizados no Brasil, bem como da luta por direitos que seus descendentes reivindicam.

Com a redemocratização do Brasil e a promulgação da Constituição de 1988, vários segmentos da sociedade, inclusive os movimentos sociais, como o Movimento Negro, obtiveram maior espaço no âmbito das discussões e decisões políticas. A lei de preconceito de raça ou cor (nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989) e leis como a de cotas raciais, no âmbito da educação superior, e, especificamente na área da educação básica, a lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que instituiu a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Afro-brasileira, são exemplos de legislações que preveem certa reparação aos danos sofridos pela população negra na história do Brasil.

Sobre as comemorações do Dia da Consciência negra, o professor Wesley afirmou que essa celebração é também uma meditação sobre a luta dos negros e a ideia de integração dos povos do Brasil, cada vez mais unidos pelos laços de cultura e raça. Mais de 300 alunos de escolas públicas estiveram na comemoração, acontecida no Salão da Cultura, à Rua Prudente de Moraes.

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui