Suzano Papel e Celulose inaugura trilhas para Educação Ambiental na Bahia

Objetivo é atingir 2 mil alunos do 5 º ano das escolas municipais, particulares e do entorno da região de Teixeira

A Suzano Papel e Celulose, empresa de base florestal, com atuação no mercado global e pioneira mundial na produção de celulose de eucalipto, inaugura a Trilha Ecológica no município de Teixeira de Freitas. A iniciativa faz parte do Projeto Trilhas, voltado à educação ambiental por meio de uma grande aula prática em áreas de preservação e florestas de plantio de eucalipto. Esta é a quarta trilha do projeto. Há outras em atividade localizadas nos municípios de Itatinga, interior de São Paulo, e em Caravelas e Mucuri, no extremo sul da Bahia.

O projeto é uma extensão das ações ambientais que a Suzano já desenvolve em suas áreas de atuação, industriais e florestais, e está alinhado com um dos três pilares de gestão, a Responsabilidade Socioambiental. Muito além de um passeio na mata, o Projeto Trilhas tem como objetivo transmitir conceitos ambientais em locais de fragmentos de Mata Atlântica, na Bahia – uma formação florestal distribuída ao longo da costa brasileira e que hoje possui apenas 5 % da sua cobertura original – e de Cerrado, em São Paulo.

“O Projeto surgiu pela preocupação da Suzano em contribuir para a preservação e conservação do meio ambiente e a busca constante de aprimorar o relacionamento com as comunidades do seu entorno”, afirma Adalberto Plínio da Silva, gerente executivo de Operações da Unidade de Negócio Florestal da Suzano Papel e Celulose.

As visitas à trilha têm como público alvo alunos do 5º ano do ensino fundamental de escolas municipais, particulares e cidades do entorno de Teixeira de Freitas, além de profissionais da área da educação, moradores das comunidades do entorno da Empresa, líderes comunitários e representantes de organizações não-governamentais. “Nossa expectativa é atingir 2 mil estudantes por ano somente em Teixeira de Freitas”, explica Silva.

A Empresa possui 597 mil hectares de terras distribuídas em São Paulo, Bahia, Espírito Santo, Minas Gerais, Piauí e Maranhão, dos quais, aproximadamente 40% são destinados à conservação ambiental e à recuperação da cobertura vegetal original, sendo o restante para plantio de eucalipto e infra-estrutura operacional.

Para o Projeto Trilhas, foram identificadas nas florestas preservadas áreas com potencial para o desenvolvimento de trabalhos de educação e conscientização junto à sociedade. Nessas áreas encontra-se uma enorme diversidade de espécies, representando a maior diversidade do planeta. O recorde mundial de diversidade de árvores foi registrado no Sul da Bahia, onde os botânicos já encontraram 450 espécies, em um único hectare, sendo que a maior parte desse patrimônio ainda era desconhecida.

Todas as trilhas são monitoradas e contemplam conceitos de preservação ambiental como: restauração ambiental, interação de fauna com a vegetação, importância da água, paisagem, sucessão ecológica, floresta e o eucalipto.

 

Fonte: Letícia Volponi

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui