Suzano investirá R$ 933,4 milhões no Espírito Santo

Marcos Kneip Navarro – Secretário de Estado de Desenvolvimento, Rogelio Amorim – Secretário de Estado da Fazenda, Renato Casagrande – Governador do Estado do Espírito Santo, Walter Shalka – Presidente da Suzano, Pablo Machado – Diretor Executivo de Relações Corporativas da Suzano, Tyago Hoffmann – Secretário de Estado do Governo e Luís Bueno – Diretor Executivo de Bens de Consumo da Suzano. Foto Divulgação

A Suzano, referência global na produção de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de árvores, anuncia nesta quinta-feira (19) o investimento de R$ 933,4 milhões em três projetos no Espírito Santo. Estão previstas a construção de uma unidade de conversão de papel tissue (papel sanitário) no sul do estado, o retrofit de parte da unidade industrial localizada em Aracruz, além da expansão da base florestal no estado. A divulgação dos projetos aconteceu no Palácio Anchieta, sede do governo do Espírito Santo, em cerimônia com a presença do governador Renato Casagrande e de membros da Diretoria da Suzano.

Os três projetos devem gerar aproximadamente 900 empregos ao longo da execução das obras e serão viabilizados a partir da utilização de créditos de ICMS acumulados pela empresa em função de suas atividades de caráter essencialmente exportador no estado. Com esses investimentos, a Suzano busca fortalecer o relacionamento com o Espírito Santo e ampliar sua contribuição para o desenvolvimento regional.

“Os investimentos representam o compromisso da Suzano com o estado do Espírito Santo e contribuem, igualmente, para tornar mais competitiva a operação da empresa no estado capixaba”, destaca Pablo Machado, diretor executivo de Relações e Gestão Legal da Suzano.

Unidade de papel – A unidade de conversão de papel demandará investimentos de R$ 130 milhões. O empreendimento vai gerar cerca de 300 empregos diretos e indiretos durante a obra e 200 empregos diretos e indiretos na operação, além de fomentar a cadeia de fornecedores de suprimentos e insumo. O início da produção deve ocorrer no quarto trimestre de 2020.

A fábrica terá capacidade para converter 30 mil toneladas anuais de tissue em produtos acabados. Serão produzidos no local papéis higiênicos de folhas dupla e tripla das marcas Mimmo, que já é líder de mercado no Espírito Santo, e Max Pure. A matéria-prima que abastecerá a unidade será produzida pela própria Suzano na Unidade Mucuri, no sul da Bahia.

Entre as razões para a escolha da região do sul do estado está a facilidade de acesso à BR-101.

Retrofit da Unidade de Aracruz – Com investimento previsto de R$ 272,4 milhões, as obras de retrofit na Unidade de Aracruz ampliarão a eficiência energética da fábrica, com mais competitividade e geração de mais energia limpa, cujo excedente será colocado nas redes de transmissão do sistema brasileiro.

Durante a execução do projeto, que terá duração de 24 meses, serão gerados aproximadamente 300 postos de trabalho. O investimento vai resultar em uma fábrica mais moderna, eficiente, competitiva e com menor impacto ambiental.

Base florestal – A Suzano também anunciou hoje a expansão da base florestal no estado, que é estratégico para a empresa. O objetivo é reduzir o raio médio de distância entre os plantios florestais e a fábrica, o que resultará em benefícios ambientais a partir da redução da circulação de veículos transportando madeira por longas distâncias.

A empresa planeja investir R$ 531 milhões nesse projeto, por meio de aquisição ou arrendamento de áreas rurais, plantios, conduções e tratos culturais. A iniciativa deve gerar 300 empregos diretos e indiretos nos dois primeiros anos após a obtenção das licenças, além de estimular a cadeia de fornecedores da região e o recolhimento de impostos.

 Os desembolsos anunciados nesta quinta-feira já estão inseridos no plano de investimentos de R$ 4,4 bilhões para 2020, divulgado pela Suzano na semana passada.


Sobre a Suzano – A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui