Suzano investirá R$ 1,17 bilhão em nova fábrica de Tissue e substituição da caldeira de biomassa no ES

Suzano investirá R$ 1,17 bilhão em nova fábrica de Tissue e substituição da caldeira de biomassa no ES. Foto: ASCOM

A Suzao, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, investirá R$ 1,17 bilhão em uma nova onda de modernização da Unidade Aracruz, no Espírito Santo. Serão destinados R$ 650 milhões na construção de uma fábrica de papel Tissue e R$ 520 milhões na substituição de uma caldeira de biomassa em um dos maiores complexos fabris de produção de celulose da companhia, localizado no município capixaba.

A fábrica de Tissue, produto utilizado na confecção de itens de higiene e limpeza como papel higiênico, guardanapo, papel toalha e lenços umedecidos, terá capacidade para produzir 60 mil toneladas, além de duas linhas de conversão do material em papel higiênico. O projeto levará dois anos até estar concluído e ampliará a capacidade instalada da unidade de Bens de Consumo da Suzano para 340 mil toneladas anuais.

Durante o período de obras serão gerados 300 postos de trabalho. Após o início da produção, previsto para o primeiro trimestre de 2026, cerca de 200 colaboradores e colaboradoras, diretos e indiretos, trabalharão na unidade.

“Estamos atentos à mudança de hábito de consumo de brasileiros e brasileiras, cada vez mais demandantes de produtos de qualidade superior, e por isso continuaremos a investir para oferecer uma ampla variedade de marcas e categorias de produtos para nossos consumidores”, afirma o diretor executivo de Bens de Consumo e Relações Corporativas da Suzano, Luís Bueno.

A intenção de construir uma fábrica de Tissue em Aracruz havia sido anunciada em junho de 2022 e estava sujeita à aprovação do Conselho de Administração da Suzano, que deu parecer favorável ao investimento em reunião realizada nesta quinta-feira (26).

Na mesma data, o Conselho de Administração aprovou a aquisição de uma caldeira de biomassa, equipamento que aumentará a eficiência energética da fábrica, contribuindo para a estabilidade operacional, além de resultar em um importante ganho ambiental a partir da redução da emissão de material particulado e reaproveitamento na queima de resíduos da madeira em relação à caldeira existente.

“O Governo do Estado tem importantes políticas públicas de incentivo para a atração de empresas e geração de renda, e sabemos que essa indústria trará benefícios significativos para a região, principalmente no que diz respeito à criação de empregos e geração de renda. Essa nova oportunidade será fundamental para a valorização dos trabalhadores da região, bem como para impulsionar a economia de Aracruz e do Espírito Santo. Além disso, tenho certeza de que essa empresa trará desenvolvimento tecnológico e capacitação profissional, fortalecendo ainda mais a região como polo industrial”, afirma o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande.

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento do estado, Ricardo Ferraço, também comentou sobre o projeto da Suzano: “Mais um investimento estratégico que adensa, que agrega valor a uma cadeia produtiva tradicional e importante no Espírito Santo, geradora de muita prosperidade e desenvolvimento em terras capixabas. A decisão atesta o quanto o mercado olha para nosso estado com confiança naquilo que estamos fazendo aqui, com parcerias sólidas com o setor privado”.

A nova caldeira, cujo início de operação está previsto para o último trimestre de 2025, utiliza biomassa para a produção de vapor, que por sua vez é usado no processo de celulose e na geração de energia elétrica.

“Avançamos, dessa forma, no processo de modernização da Unidade Aracruz, o que reforça o nosso compromisso com o desenvolvimento capixaba. Concluímos em 2021 a construção de uma fábrica de conversão de Tissue no município de Cachoeiro de Itapemirim e realizamos outros importantes investimentos em Aracruz, como a instalação de um sistema de cristalização, um novo turbo gerador e a modernização de uma das caldeiras de recuperação química” ressalta o presidente da Suzano, Walter Schalka.

Somente no Espírito Santo, a Suzano emprega diretamente cerca de 2.500 pessoas. Os projetos sociais da companhia, por sua vez, impactam positivamente mais de 25 mil pessoas de forma direta e indireta no estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui