Suzano intensifica ações de prevenção e combate a incêndios florestais

Suzano intensifica ações de prevenção e combate a incêndios florestais. Foto: Divulgação

Empresa conta com um dos mais modernos sistemas de monitoramento em tempo real, cobrindo 96% de sua área florestal no Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais

 O período de estiagem, que vai de agosto a março, é crítico não apenas para o nível dos rios e reservatórios que abastecem as cidades, mas também por ampliar os riscos de incêndios em áreas florestais. A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, vem intensificando as ações de prevenção e combate a incêndios florestais em suas áreas.

A empresa dispõe de um moderno sistema de monitoramento capaz de cobrir, em tempo real, 96% da base florestal distribuída em 29 municípios nos estados do Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais. Além disso, também investe na busca constante por equipamentos de ponta e na contratação e formação de profissionais para fortalecer as operações de combate a incêndios em áreas de florestas plantadas e de preservação ambiental, incluindo reservas naturais e fazendas vizinhas às suas propriedades.

O sistema de proteção florestal da empresa conta com 39 torres de observação estrategicamente posicionadas e três centrais de monitoramento que operam 24 horas por dia, responsáveis por identificar rapidamente eventuais focos de incêndio. Em campo, a proteção florestal conta com 20 equipes de vigilantes brigadistas que fazem ronda 24 horas por dia em pick-ups Hilux altamente equipadas e preparadas para fazer o primeiro combate às ocorrências. O aparato dispõe ainda de 16 caminhões-pipa que, assim como as pick-ups, são equipados com sopradores, abafadores, tanques de água e retardante a chamas, mangueira de longo alcance e outros recursos. Os veículos incluem rastreadores via GPS e tablets para georreferenciamento e localização das ocorrências.

Além da infraestrutura relacionada à tecnologia e equipamentos, a Suzano conta com um time de peso em campo, treinado para atuar em ocorrências de incêndios florestais e outras situações, tais como furto de madeira, caça e pesca predatórias e outras agressões ambientais. São 345 profissionais que incluem vigilantes brigadistas e equipes de combate a incêndios. As equipes recebem treinamento semestral abordando ações preventivas de monitoramento e preservação do meio ambiente, educação ambiental e combate a incêndios.

O aparato mantido pela Suzano para proteger as áreas florestais contribui para minimizar as perdas, mas somente de janeiro a agosto de 2021 a empresa registrou mais de 3.200 focos de incêndio em áreas distribuídas no Espírito Santo, Bahia e Minas Gerais, que resultaram na queima de mais de 7.100 hectares, incluindo cerca de 600 hectares de áreas de preservação. Aproximadamente 78% da área queimada correspondem a ocorrências registradas na região norte do Espírito Santo.

Floresta Viva – Para sensibilizar a população sobre os riscos gerados pelos incêndios florestais, a Suzano também fortalece as ações de conscientização junto às comunidades vizinhas da empresa. Por meio do Programa Floresta Viva, a companhia mantém um canal direto de comunicação com propriedades rurais vizinhas as áreas florestais da empresa para orientações, denúncias e alertas a emergências florestais.

Conduzido nas Unidades Florestais de todo o Brasil, o Programa tem como principal objetivo a prevenção de incêndios florestais nas áreas de influência da Suzano, além da conscientização quanto à caça e pesca predatórias, ressaltando a importância da colaboração de todos na conservação do meio ambiente.

“O Floresta Viva dissemina informações para prevenir e combater incêndios em nossas florestas ou em comunidades vizinhas, lembrando aos moradores da região que nossas áreas são abrigo e caminho para inúmeras espécies de animais silvestres. O objetivo é mostrar a importância das nossas florestas para a proteção da biodiversidade, do solo e da água, além de ser fonte de renda para inúmeras pessoas. Buscamos sensibilizar o máximo de pessoas possível, uma vez que a grande maioria dos incêndios florestais ocorre por ações humanas, alguns até de forma criminosa, mas muitos são provocados pela disseminação do fogo a partir de queimadas não controladas”, explica Eduardo Soares, coordenador de Inteligência Patrimonial da Suzano.

Por meio das ações do Programa Floresta Viva e do investimento em novas tecnologias de monitoramento e controle, a Suzano espera reduzir as ocorrências de incêndios em suas áreas.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui