Suzano apresenta primeiro Relatório Anual da nova companhia

Documento traz as principais iniciativas pós-fusão e as ambições para os próximos anos

Suzano apresenta primeiro Relatório Anual da nova companhia. Foto: reprodução

A Suzano publica nesta semana o Relatório Anual 2019, referente ao primeiro ano da companhia após a fusão que uniu a Suzano Papel e Celulose e a Fibria Celulose. O documento traz um panorama das práticas de governança, ambientais e sociais e as estratégias de negócio e de sustentabilidade – com os compromissos assumidos até 2030 –, além de ambições de médio prazo da companhia.

O relatório apresenta, entre outros assuntos, o processo de disseminação e internalização dos Direcionadores de Cultura da companhia, iniciativas adotadas para a captura de sinergias e o movimento de integração de sistemas, processos e pessoas que ocorreu ao longo do ano.

Além das medidas adotadas no presente, a publicação mostra como a companhia espera ser no futuro. Para isso, são apresentadas linhas de pesquisa e as biopossibilidades estudadas para a transição a uma economia de baixo carbono, embasadas na incorporação do conceito de inovabilidade (inovação + sustentabilidade), que buscam impactar positivamente o negócio e a sociedade.

O último ano também foi um marco de iniciativas internas e externas da Suzano, como, por exemplo, o desenvolvimento de um novo ecossistema de Inovação a partir da transformação digital, a estruturação do grupo de diversidade, o Plural, e o primeiro ano da empresa com as ações negociadas na Bolsa de Nova Iorque – o que representa uma evolução importante em termos de governança –, entre outras realizações.

Apesar de ter sido um ano desafiador, a companhia também apostou no investimento em novas tecnologias para o desenvolvimento de soluções inovadoras e sustentáveis, com o lançamento de produtos renováveis, recicláveis e biodegradáveis. É o caso do Bluecup Bio®, na linha de copos descartáveis, e do Loop®, papel especialmente elaborado para a produção de canudos e já presente nas principais redes de fast food do Brasil.

De acordo com Walter Schalka, presidente da Suzano, 2019 foi um ano histórico para a companhia. “Superamos e aprendemos com os desafios que enfrentamos, mantendo sempre em mente nossos pilares de cultura. Em 2020, temos uma batalha ainda maior a vencer, a da COVID-19, mas estamos otimistas de que juntos venceremos esse momento”, afirma.

Para acessar o Relatório Anual 2019, clique aqui.

Central de Indicadores

Como parte das iniciativas idealizadas em 2019, e uma das peças que acompanha este relatório, a Suzano lança neste ano sua Central de Indicadores, uma plataforma interativa destinada ao público interno e externo com dados quantitativos e qualitativos sobre as operações e os impactos da empresa. A ferramenta facilita, assim, o acesso a informações para atender as demandas institucionais e de mercado com qualidade e transparência.

A plataforma reúne mais de 250 indicadores de desempenho social, ambiental e econômico, reporta dados que atendem à Global Reporting Initiative (GRI), apresenta os temas materiais e faz correlações entre os indicadores e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). Além disso, também apresenta informações da Task Force on Climate-Related Financial Disclosures (TCFD), iniciativa que trata da disponibilidade e qualidade das informações financeiras relacionadas às mudanças climáticas, formalmente apoiadas pela empresa.

Para conhecer a Central de Indicadores, clique aqui.

Sobre a Suzano

Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui