Secretário afirma que não há contágio comunitário de coronavírus em Porto Seguro

Kerrys explica que transmissão comunitária ocorre quando não é mais possível saber a origem da infecção; não é situação de Porto Seguro. Foto Arquivo/Ascom

Uma semana depois de registrar o primeiro caso importado de coronavírus, a Secretaria de Saúde de Porto Seguro informou que ainda não há, no município, contágio comunitário da covid-19.

O secretário municipal de Saúde, Kerrys Ruas, explicou que a transmissão comunitária ocorre quando não é mais possível saber a origem da infecção por ter se alastrado aleatoriamente. É diferente da situação atual em Porto Seguro, pois as transmissões foram identificadas. “Ou seja, sabemos quem passou o vírus a quem”, tranquiliza Kerrys.

Os outros casos confirmados em Porto Seguro são de uma venezuelana que voltou dos Estados Unidos com os sintomas e testou positivo para coronavírus. De acordo com o secretário Kerrys, ela também infectou a mãe, pois ainda não sabia que estava com o vírus. Uma empresária moradora da cidade, que veio de São Paulo com os sintomas e procurou a Secretaria Municipal de Saúde, teve teste positivo.

O empresário cearense Cláudio Henrique do Vale Vieira, 43 anos, é apontado pelo governo da Bahia como transmissor do coronavírus em Porto Seguro. Segundo o governador Rui Costa, mesmo sabendo que estava infectado, ele viajou de São Paulo para Trancoso, onde contaminou a mulher, uma amiga, o irmão e um funcionário. Ele está sendo processado na Bahia, a pedido do Ministério Público.

A amiga e o irmão do empresário Cláudio Vale já estão no estado do Ceará. Cláudio, a esposa e o funcionário, bem como as outras três mulheres que não tiveram contato com ele, seguem em isolamento social, em Porto Seguro.

Atualmente, são sete os casos positivos em Porto Seguro. A Prefeitura já adotou uma série de medidas para evitar disseminação do novo coronavírus.

Fonte: Radar64

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui