Secretária de Saúde de Porto Seguro defende tratamento precoce durante protesto contra restrições ao comércio

Governo da Bahia critica postura dos prefeitos do Extremo Sul e kit covid

Foto: Reprodução

Na manhã desta sexta-feira, 26 de fevereiro, empresários e comerciantes de Porto Seguro realizaram uma caminhada em manifestação contra as medidas mais restritivas impostas ao comércio, por meio de decreto estadual para conter o avanço da covid-19 em mais de 90% dos municípios baianos.

Em frente à Secretaria de Saúde, o grupo foi recebido na porta pela titular da pasta, a médica Raíssa Soares, que apoiou o protesto e também contestou decisões citando dados.

A Secretaria de Saúde não foi abordada pelo Estado. Nós temos, sim, casos crescendo, mas não existe colapso em Porto Seguro. Temos 97,7% de recuperados porque nós fazemos abordagem preventiva. As pessoas vulneráveis estão usando ivermectina e vitamina D“, citou a secretária.

Estive reunida com a rede hoteleira e mais de 200 funcionários ficaram durante esse janeiro cheio de clientes e teve um paciente doente, porque a família de um adoeceu leve. Funcionário lidando com turista o tempo inteiro. A abordagem preventiva funciona“, acrescentou.

Raíssa enfatizou aos manifestantes que o tratamento precoce está disponível nos centros de atendimento à covid-19. “O máximo de pacientes que a UPA teve foi oito na semana passada. Por que Porto Seguro tem que ser bloqueada? Eu entendo que, quando o estado faz isso, ele olha o número de pacientes aguardando leitos de UTI. Tem sim. Em Salvador, é a 5ª cidade onde mais morre gente no país – não é Porto Seguro“.

Fechar comércio não muda a doença. O que muda é a abordagem preventiva e não fazer a cidade quebrar“, finaliza.

Sobre o decreto em Porto Seguro

O prefeito Jânio Natal, em comunicado oficial divulgado nesta sexta-feira (26), disse estar “obrigado” a acatar o decreto estadual, que estabelece a restrição de circulação e o funcionamento de alguns estabelecimentos durante o fim de semana.

Ele explica que, independente de sua posição pessoal, decorre uma decisão proferida pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) em 25 de dezembro, quando tentou derrubar a decisão do governo que proibia a realização de festas no Réveillon. Era imputada uma multa pessoal de R$300.000,00 em caso de desobediência.

O que diz o Governo do Estado

O Governo do Estado divulgou que a região do Extremo Sul da Bahia, que inclui Porto Seguro, apresenta uma taxa de mortalidade pela covid-19 que é 45% superior a média estadual. “A região do Extremo Sul da Bahia, que inclui municípios como Porto Seguro e Teixeira de Freitas, apresenta uma taxa de mortalidade por coronavírus que é 45% superior a média estadual. A análise refere-se aos três últimos meses, onde a região aparece com 27,2 óbitos a cada 100 mil habitantes, que é o maior índice dentre todas regiões do estado”, diz a nota do Governo.

A análise refere-se aos três últimos meses. Na noite desta sexta-feira (26), a taxa de ocupação dos leitos de UTI alcança 76%, uma das maiores da Bahia. E, para o Governo da Bahia, “o agravante é que prefeitos e secretários de saúde da região estimulam a população a não adotar as medidas de contenção da doença, que seria o uso de máscara, manutenção do distanciamento social e higiene frequente das mãos”, e completa: “Além disso, propagam o uso de kits covid, que incluem antibióticos e vermífugos, em uma clara afronta ao conhecimento científico estabelecido”.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui