Santificar-se e ser santificado

“Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” (João 17.17)

Jesus orou ao Pai por nossa santificação. Podemos também pensar na santificação de nós mesmos, o que significa a aplicação à nossa própria vida dos valores, princípios, condutas, hábitos e práticas que entendemos como promotoras de santificação. É nessa linha que muitas igrejas pretendendo promover a santificação de seus membros impõem proibições e permissões. Que roupas seus membros podem ou não usar, que lugares podem ou não frequentar, e tantas outras coisas. Há quem ainda observe certas restrições alimentares, como carne de porco e camarão, que chamam de “o porco do mar”.

Santificar a nós mesmos é algo importante. Como dito, aponta para o cuidado que devemos ter para que cresçamos espiritualmente, superemos comportamentos e atitudes que neguem o Evangelho em nossa vida. Mas temos ai um problema, pois dependendo do que cremos sobre Deus, do modo como lemos as Escrituras, do que nos ensinaram sobre a vida em nossa formação cristã, podemos compreender santificação em perspectiva pouco maduras, para dizer o mínimo. Podemos ser adeptos de uma santidade que, na verdade, não significará uma verdadeira harmonização de nossa vida com o Evangelho, mas um enquadramento a regras religiosas.

O resultado acaba não sendo a edificação de uma pessoa em quem se veja a beleza de Cristo e, em alguns casos, revela-se a feiura da religião.
Jesus orou pela santidade que Deus promove em nós. É a santidade que faz de fato diferença em nossa vida e em nosso testemunho. Esse é o pedido de Jesus: “Santifica-os na verdade!” Em seguida Jesus diz “a tua palavra é a verdade”, o que de imediato nos leva a pensar que Jesus esteja se referindo aos 66 livros de nossa Bíblia. Creio que eles estejam de alguma forma incluídos aí, mas creio também que Jesus esteja dizendo que está na manifestação da vontade de Deus, na palavra de Deus, em última instância, no próprio Cristo – que é o verbo divino – a verdade que nos santifica.

Logo, somos santificados em Cristo, pelo que Ele fez e na imitação a Ele. Somos santificados na medida que discernimos a vida a partir dos olhos de Cristo. Na medida em que deixamos que o Espírito de Cristo que nos é dado, nos guie em toda a verdade. E isso será uma jornada cheia do novo, cheia de vida e marcada pelo amor, a graça e a misericórdia. O resultado será alguém que expressa a beleza e o bom perfume de Cristo. É pela ação e manifestação da graça de Deus que somos santificados. Cada dia mais creio que a santidade não será jamais resultado dos arranjos religiosos humanos. Será sempre e necessariamente fruto da boa obra que Deus realiza em nós. Que ela esteja avançando em minha e em sua vida.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui