Ronaldo Carletto: “Eu quero me comprometer muito mais com Teixeira de Freitas”

Ronaldo Carletto: “Eu quero me comprometer muito mais com Teixeira de Freitas”. Foto Portal Bahia 10

Em entrevista a um site de Teixeira de Freitas, o empresário e deputado federal diz que tem votos nos “quatro cantos” da Bahia e que tem um coração pulsante por Teixeira de Freitas.

Carletto explicou, sempre fazendo referência aos apoios e à importância de ter, em seu histórico como parlamentar, prestação de serviço para que, com confiança, possa pedir o voto do cidadão de cada comunidade agraciada com seu trabalho. O parlamentar também discorreu sobre o momento político e avaliou que, no contexto atual, ser político no Brasil, é atividade de alto risco.

Abaixo, a entrevista.

Como o senhor avalia o momento político atual?

Carletto: ser político no Brasil hoje é atividade de alto risco por conta da desmoralização que passa a política nesse exato momento. Eu posso afirmar, graças a Deus, que tenho feito um trabalho com muita determinação, coragem, mas, acima de tudo, com muita cautela e cuidado, pois estamos vendo hoje um congresso nacional desmoralizado, o senado e a política em geral, desmoralizada, seja num município com 10 mil habitantes, seja em um com 100 mil habitantes. Eu, graças a Deus, posso afirmar, que entrei na política lá em 2002, meu pai foi prefeito em 2000. Inclusive, meu pai, talvez pela idade avançada ou pela escolha de seu secretariado, não fez um mandato de excelência, mas fez um mandato com dignidade… e é tanto que hoje o último processo que respondeu ele foi inocentado pela Justiça Federal. Eu, graças a Deus, nunca tive um processo em minha vida e quero aqui afirmar justamente isso. Eu não tenho inquérito, quanto mais um processo de corrupção ou qualquer ato que venha a manchar minha reputação. Hoje todos têm acesso à informação através da internet, então é só averiguar quem representa os anseios do povo e quem não representa. Em meu histórico, tanto como empresário, como político não existe registro de envolvimento em corrupção nem de processo na justiça comum.

 Como o sr. vê esse movimento de pessoas incentivando a anulação do voto?

Carletto: eu entendo que na vida das pessoas, na vida do País é preciso conviver com a política. Por isso, quando vejo as pessoas dizendo que não vão votar, eu fico indignado. Se apenas 10 por cento das pessoas votarem, mesmo assim, teremos 513 deputados no congresso nacional e 63 deputados estaduais aqui na Assembleia Legislativa. Tem gente que acredita que se a metade dos eleitores não votar que a eleição será anulada. Essa é uma informação falsa. O único resultado que quem anulou o voto vai ter é o de ter perdido a oportunidade de influir no destino da Nação, pois seu voto será desconsiderado, porque os votos nulos são como se não existissem.

Eu entendo que a população tem que refletir e analisar quem foram aqueles que desenvolveram um mandato em prol da comunidade, em prol da população, em prol do Extremo Sul, em prol da Bahia e do Brasil. Hoje todos têm acesso à informação através da internet, então é só averiguar quem representa os anseios do povo e quem não representa. O meu histórico permite que eu fique muito à vontade e confiante para pedir o voto. A gente não pode “falar pra não fazer e dizer pra não cumprir”. Por isso o slogan da minha campanha é: um deputado de palavra.

 Como é seu relacionamento político com Teixeira de Freitas?

Carletto: em Teixeira de Freitas, especificamente quando Temóteo ganhou a eleição, eu disse, Temóteo, vou lhe ajudar. Cumpri minha promessa arrumando emendas para ele. No primeiro ano prometi 5 milhões de reais em emendas e com um ano e meio arrumamos 6,5 milhões em emendas, sendo: 500 mil reais para a saúde. Nós tivemos um audiência com o ministro Ricardo Barros  e conseguimos a implantação da lavanderia para o Hospital Regional, além disso, liberamos já na conta da prefeitura 5 milhões de reais também para a saúde de Teixeira de Freitas. Temóteo, determinado como é, experiente com é; gostando de Teixeira de Freitas como ele gosta, com certeza estará, com essa verba, cuidando muito mais da saúde. Um milhão de reais foi destinado para o asfaltamento e está sendo empenhado pelo Ministério das Cidades. Tenho compromisso de arrumar mais emendas para Teixeira e espero que, caso eleito, e acredito que serei,  disponibilizar mais 5 milhões de reais em emendas para infraestrutura, que é uma das prioridades da cidade.

 Como o senhor avalia o panorama político de Teixeira de Freitas na atualidade?

Carletto: Temóteo, além da amizade que tenho, é o precursor do Extremo Sul. Mesmo com os vários mandatos que já teve, parece estar em seu primeiro mandato. Sinto que o prefeito vai fazer um grande mandato, e, com certeza, deve ir para uma reeleição tranquila, se assim desejar. Tem muita coisa preparada para acontecer em Teixeira de Freitas. Quando se assume um mandato, como ele assumiu, com uma prefeitura de “pernas para o ar” é preciso de um tempo para colocar as coisas em ordem. Posso afirmar, e o povo de Teixeira de Freitas sabe muito bem disso, que a prefeitura estava desorganizada. Eu, assim como Temóteo, apesar de não sermos perfeitos, nós acertamos mais do que erramos, e quando a pessoa acerta mais do que erra, dentro de um mandato, a comunidade se beneficia e o povo reconhece.

 Como é seu relacionamento político com o Extremo Sul da Bahia?

Carletto: Eu sempre tenho, graças a Deus, “uma carta na manga” para servir a comunidade. Mesmo em alguns municípios onde não somos apoiados pelo prefeito, nós arrumamos meios de servir. Eu gosto de marcar posição para depois pedir o voto. Como diz o senador Otto Alencar: “Nada resiste ao trabalho”.

Em alcobaça colocamos, no ano passado, um quadra para Taquari, SAMU e Ambulância. Empenhamos 1 milhão e 300 mil reais e vamos empenhar mais 700 mil, somando 2 milhões de reais.

Em Caravelas também colocamos SAMU, ambulância, carro para a saúde, asfalto e várias emendas também empenhadas por mim. Conseguimos, também, cerca de 75 mil reais por mês para o hospital funcionar melhor.

Para Mucuri meu mandato já liberou 800 mil para saúde, 700 para o hospital, 2 milhões para calçamento e a ponte que liga Mucurí a Costa Dourada, que fica na divisa com o Espírito Santo, nós botamos no orçamento e irá custar 5 milhões. Para isso, o deputado estadual Robinho trouxe de Salvador o engenheiro da Secretaria de Agricultura para desenvolver este projeto. Esse projeto veio para minha mão, passou pelo Ministério das Cidades, pelo da Integração, mas  não se enquadrou, por isso nós estamos tentando pegar estes 5 milhões de reais para colocar na Secretaria de Infraestrutura, como estratégia para construir a tão sonhada ponte.

Em Eunápolis, por exemplo, nós colocamos emenda para a Secretaria de Infraestrutura e o asfalto foi licitado e já está sendo feito. Foram investidos entre 10 a 11 milhões em obras para Eunápolis.

Em Porto Seguro, através de emendas, proporcionamos algumas benfeitorias, como a rua da Linha, a água de Caraívas.. . Em resumo, foram 6 ou 7 milhões em obras.

Em Ibirapuã tenho também prestado serviço: asfalto, saúde, sistema de água, tratores, convênio de 55 mil reais por mês para reativar o hospital.

Em Medeiros Neto nós não somos coligados a prefeita, mas nem por isso deixamos de atentar para as necessidades do município. Deixamos lá um milhão em obras no setor de infraestrutura, sistema de água, tratores, ambulância, enfim, nós temos feito um mandato voltado para a população. Itanhém, da mesma forma teve emenda para saúde, sistema de água, ambulância, trator e é um município onde a prefeita também não nos apoia.

É possível trabalhar num lugar onde o prefeito não lhe apoia, é possível você servir à população. Eu, graças a Deus, nesses últimos três anos e meio de mandato, posso afirmar que todos os cerca de 40 prefeitos que me apoiam tiveram um nível razoável de emendas para servir à população. Isso me dá credibilidade, como disse anteriormente, para ir para a rua pedir voto, apesar do desgaste na política, gerado pelo comportamento de alguns políticos.

A expectativa é de que o senhor seja um dos candidatos mais votados da Bahia para deputado federal. Caso isso se concretize, qual sua expectativa para o próximo mandato?

Carletto: Eu quero nesse próximo mandato poder trabalhar mais do que trabalhei no primeiro, por que, quando a gente chega em Brasília, nos primeiros 6 meses a um ano é preciso se adaptar e, graças a Deus, me adaptei bem, fiz boas amizades, não tive envolvimento com nenhuma coisa ilícita, tive um mandato, que mesmo sendo o primeiro em Brasília, posso afirmar que foi muito bom.

 E quanto às votações no Congresso? O senhor vota de forma independente ou por orientação do partido?

Carletto: Eu fiz um mandato à altura do povo da Bahia. Eu voto por convicção e algumas vezes esta convicção mostra um caminho contrário à orientação do partido. Voto com a minha consciência visando o progresso da Bahia e do Brasil. Se alguém discordar da motivação do meu voto é só me perguntar, pois não tenho medo algum de explicar os meus motivos, pois, como representante do povo, tenho mesmo é que prestar contas a quem me confiou o voto.

 Como é seu relacionamento com o Governo do Estado?

Carletto: Eu admiro o governador Rui Costa pela parceria dele com os prefeitos e comigo. Eu admiro o governador Rui Costa pelo trabalho que vem desenvolvendo na Bahia, tanto que é o favorito, de acordo com as pesquisas eleitorais, e deve ser reeleito como governador. Quero aproveitar para chamar a atenção da população para contemplar o bom trabalho realizado pelo senador Otto e o vice-governador João Leão e agradecer a tantos outros políticos, meus amigos.

 O senhor foi,  por três vezes, deputado estadual estando entre os mais votados da Bahia e agora é deputado federal e esteve entre os cinco mais votados. Isso te credencia a estar entre os 3 primeiros, senão, o primeiro mais votado?

Carletto: Não estou preocupado com quantidade de votos e nem em ser o primeiro mais votado. Eu estou pleiteando é o reconhecimento do povo e de ter uma eleição  com resultado positivo. É bom estar entre os mais votados. Faz bem ficar entre os 3 ou 4 mais votados, porque uma votação expressiva se converte em representatividade e isso repercute bem no cenário nacional e estadual nos conferindo  credibilidade e respeito para pleitear obras e exercer um mandato com mais eficiência, determinação e coragem.

Além do senhor ter o apoio do prefeito de Teixeira de Freitas, o senhor também é um candidato da região e o teixeirense tem por costume valorizar aqueles que são da região. Isso significa que o senhor pode estar entre os mais votados de Teixeira. Como o senhor avalia sua receptividade em Teixeira?

Carletto: Teixeira, hoje, é a maior cidade do Extremo Sul, depois vem Porto Seguro e Eunápolis. Eu moro em Porto Seguro, mas tenho também um coração pulsante por Teixeira de Freitas. Agora, com a vitória do prefeito Temóteo, que é um amigo, eu tenho um olhar muito carinhoso por Teixeira de Freitas. Acredito que estes R$ 6,5 milhões em obras que coloquei, nenhum outro deputado colocou. Mesmo aqueles que foram bem votados, que tiveram uma votação expressiva, não o fizeram. Eu sou grato pelos 2 mil e 200 votos, mas não foi a votação que me fez destinar verba para obras em Teixeira. Foi, na verdade a admiração, que tenho por Teixeira de Freitas e seu povo e o carinho e a amizade que tenho com o prefeito Temóteo Alves de Brito. Eu acredito em Teixeira de Freitas, eu sou empresário na cidade. Minha família é empresária na cidade. Então, nós temos que correr para que a cidade cresça, para que a cidade desenvolva e a gente como político possa investir em infraestrutura atraindo investidores tanto para o comércio como para a indústria sem esquecer de investir no agronegócio que é o ponto forte da cidade e da região. É bom que se diga que o agronegócio é o que sustenta nosso país hoje. Eu admiro também a agricultura familiar que vem se fortalecendo e fixando o homem no campo. Tanto que quando tive a oportunidade de indicar algum cargo na Bahia eu indiquei a superintendência do Banco do Nordeste. Isso porque é um banco que tem as melhores taxas e linha de crédito tanto para a agricultura familiar como para o empresário ou para o comércio. Apesar de todas as linhas de crédito, o BNB é muito burocrático e, por isso, o superintendente se propôs a vir fazer uma palestra visando facilitar o acesso do cidadão a estas linhas de crédito. Eu quero me comprometer muito mais com Teixeira de Freitas.

 Além do Extremo Sul da Bahia, em que outras regiões do Estado o senhor tem participação no processo político?

Carletto: Nos “quatro cantos” da Bahia. Tenho o apoio de várias prefeituras e outras lideranças políticas em todas as regiões. Além do Extremo sul, tenho apoio no Sul, no Baixo Sul, no Recôncavo Baiano, no Oeste Baiano,  no vale do Paramirim, no sertão, no sudoeste da Bahia e na região metropolitana em Dias Dávila, Mata de São João, Vera cruz e Itaparica.

“Quero encerrar essa entrevista mandando uma palavra de confiança para todo cidadão do Extremo Sul e da Bahia, prometendo dedicar todo o meu esforço, para juntos desenvolvermos a nossa região, que hoje é um dos maiores polos de desenvolvimento da Bahia”, finalizou Carletto.

Fonte: Foco no Poder

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui