Rapper Joab3 lança disco Prólogo; confira entrevista

Quando falamos em música brasileira quase que imediatamente lembramos dos gêneros musicais como sertanejo universitário, funk, samba, pagode, entre outros. Contudo, há sempre aqueles que rompem com os padrões, proporcionando um som diferenciado, tanto em melodia quanto em letra. Em Teixeira de Freitas, por sua vez, vemos surgir com um tempo um público e músicos com preferências musicais pouco usuais. Apesar de que não tenha se consolidado no cenário musical nacional, gêneros como o Rap e o Hip-hop vem se destacando; tornando-se uma tendência entre os jovens da periferia, que por meio da música transmitem opiniões e sentimentos a respeito de sua realidade.

Capa do disco Prólogo, desenhada pelo artista Tiago Silva

A prova de que tais gêneros musicais até então pouco frequentes no repertório teixeirense vem ocupando espaço, é a divulgação dos trabalhos dos artistas locais por meio da internet. É o caso do Rapper Joab3, que recentemente disponibilizou na íntegra o disco intitulado “Prólogo”, seu primeiro trabalho solo.

Rapper Joab3

Na ocasião em que “Prólogo” foi disponibilizado na rede mundial de computadores; o Rapper Joab3 concedeu uma entrevista ao Jornal OSollo, onde falou do projeto e de como se encontra o Rap no cenário musical contemporâneo:

Como nasceu o projeto do disco Prólogo?

Nasceu da canção Prólogo, que é a primeira do disco, nela sintetizo quem sou e como vejo o mundo.

Rapper e produtor musical Ney Dicí. Fundador do Palavra Base, o selo que assinou o disco Prólogo

Quem esteve envolvido na realização do projeto?

De forma indireta, a produção ficou por conta do meu brother Ney Dicí, 5 dos 6 instrumentais são dele, o outro é de um prodígio WARLXCK, produtor da  faixa Papiros. Tive envolvido na escolha dos samplers (equipamentos que conseguem armazenar sons de arquivos em formato WAV numa memória digital, e reproduzi-los posteriormente) e acompanhei parte do processo.

Quais são suas principais influências no cenário musical?

São várias. Soul music, Punk Rock, música brasileira de uma forma mais ampla, o próprio Rap e o Jazz. São amostras de outras canções que recortamos e criamos um som original a partir dele

Na sua opinião, como se encontra o Rap e o Hip-hop no cenário musical brasileiro?

Em franca ascensão, tivemos nessa semana o desfile da Lab no SPFW, tem Rap em trilha de filme, novela, seriado e várias colaborações de artistas do Rap com músicos de outros gêneros, uma prova disso é o próprio Emicida, dono da Lab, tendo no seu álbum participação do Caetano Veloso em uma das canções, outra exemplo foi o Black Alien e o Don L com o Paulo Miklos dos Titãs na trilha do filme Brisa Fria, tá começando a ter um espaço satisfatório e trabalhos com uma frequência maior.

Qual a proposta do disco Prólogo? Isto é, qual a mensagem que ele visa transmitir para o público?

Mensagem? Acho pesado encarar dessa forma, acredito que seja mais uma reflexão sobre a vida e como se vive nas cidades, sobre as raízes Afro-Indígena dos guetos brasileiros e toda essa construção social caótica que nos coloca sempre na posição de inferior e essa história não é contada por algum motivo. Deve ser a Matrix.

Quais são os seus outros trabalhos musicais?

Esse é o meu primeiro solo, já tinha gravado alguns sons antes, mas disco oficial, é o primeiro e no Rap tem uma estigma do primeiro ser o mais demorado.

Em Teixeira de Freitas, como se encontra o Rap e o Hip-hop?

Então, é meio complicado de dizer, é uma cidade com vários  grafiteiros bons, por exemplo, o Mazinho Lima desenhou pra uma novela da Globo, vários dançarinos que venceram competições de Break dance  dentro e fora da cidade; e tem duas batalhas  de improviso ativas e um Mc do Selo que faço parte o Palavra Base, o Geek Mc que participou sábado passado da seletiva estadual pro duelo nacional de Mc’s em Belo Horizonte, tem coletivos de poesia marginal como o “Éramos 7” que fiz parte e o “Quatro2” que integro atualmente, o Hip-hop numa crescente interessante pra uma cultura tão nova.

Escute na íntegra o disco Prólogo:

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui