Projeto de Marcílio Goulart cria o Programa Municipal de Segurança das Comunidades

Vereador Marcílio Goulart. Foto Ascom

Está em tramitação na Câmara Municipal o Projeto de Lei do Legislativo nº 24 de 08 de maio de 2018, de autoria do vereador Marcílio Carlos Goulart (PT), que cria o Programa Municipal de Segurança das Comunidades do Município de Teixeira de Freitas e dá outras providências. Conforme o vereador Marcílio Goulart, o Programa Municipal de Segurança das Comunidades do Município é destinado a fomentar as iniciativas de segurança de parte da comunidade (núcleos urbanos como bairros, vilas, ruas, avenidas, alamedas e assemelhados).

De acordo com o projeto de Marcílio Goulart, para fins de atingir os objetivos do Programa, as comunidades poderão, por meio de entidades representativas devidamente constituídas, firmar convênio com o município, para atuar, de forma conjunta e regulamentada, no exercício de iniciativas que visem à segurança local. As comunidades poderão dispor de serviços de vigilância por meio de pessoal devidamente registrado, de equipamentos eletrônicos, como câmeras ou outros recursos tecnológicos de segurança, e de elementos físicos.

Segundo a proposta, no caso de comunidades que possuam acessos exclusivos de entrada e saída, poderão ser instalados equipamentos e alocado pessoal para manter a vigilância acerca da segurança local, nos termos a serem definidos no convênio firmado. As despesas com serviços de vigilância e equipamentos correrão por conta das comunidades que aderirem ao Programa.

O vereador Marcílio Goulart lembra que a segurança urbana desafia governos e inquieta os cidadãos. A sensação de insegurança que atinge, especialmente, as médias e grandes cidades, nunca foi tão elevada. As estatísticas comprovam que os índices de criminalidade atingem, atualmente, cifras altíssimas, o que demanda cada vez mais ações coordenadas não só dos órgãos de segurança pública do Estado, mas também ações que envolvam os municípios e a comunidade.

O objetivo do vereador Marcílio Goulart, ao criar o Programa, é articular as comunidades urbanas em ações complementares de vigilância, de modo a estimular a colaboração entre os cidadãos, visando ao fortalecimento das ações de segurança. “Para tanto, as comunidades poderão organizar-se disponibilizando serviços de vigilância e utilizando recursos tecnológicos em prol da segurança local e, igualmente, poderão formar convênios com o município para a orientação e a adequação dessas ações às normas vigentes. Dessa forma, estaremos contribuindo para um ambiente mais seguro em nossa cidade”, ressaltou o parlamentar.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui