Profissionais de saúde são capacitados para manejo clínico de Chikungunya em Eunápolis

Foto: Secom

Nesta terça-feira, 01/08, médicos, enfermeiros e técnicos da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Eunápolis participaram da Atualização em Manejo Clínico de Chikungunya e Vigilância Epidemiológica de Chikungunya. Uma parceria da SESAB com a Prefeitura de Eunápolis, o objetivo do curso foi ampliar o número de profissionais de saúde atualizados sobre os protocolos de manejo de pacientes diagnosticados com a doença.

O curso aconteceu no auditório da Faculdade Unopar, no bairro Centauro, e foi ministrado pelo infectologista Fábio Amorim, do Hospital Couto Maia, em Salvador, e pela sanitarista da SESAB Bruna Drummond.

De acordo com a superintendente de Vigilância em Saúde, Kelly Rebouças, o curso teve duas etapas.  “Tratamos sobre epidemiologia, ações de vigilância, organização do serviço de saúde, além de apresentar a importância da educação permanente em saúde. Já na segunda parte, tratamos mais especificamente com a doença, falando sobre o quadro clínico, diagnóstico, casos clínicos e manejo de pacientes”, explicou a superintendente.

Segundo a secretária de Saúde Stela Souza, para avaliar o atendimento aos pacientes com suspeita de Chikungunya, nesta quarta-feira, 02/08, a equipe da SESAB realizou uma visita técnica ao Hospital Regional de Eunápolis. “A equipe da SESAB nos acompanhou em visita ao Regional e verificou que os procedimentos quanto ao manejo clínico com os pacientes suspeitos de Chikungunya estão sendo realizados dentro dos padrões determinados pelo Ministério da Saúde”, explicou Stela Souza.

Ainda segundo a secretária, o índice geral de Infestação no município é 1.2, considerado razoável, visto que o Ministério da Saúde preconiza como ideal 1.0, porém, existe a preocupação da gestão com pontos focais como o bairro Juca Rosa que mantém o maior índice do município.  “O prefeito Robério, preocupado com nossos índices, solicitou a intensificação das ações de prevenção e combate, além de amplos cuidados com os casos suspeitos e já confirmados”, concluiu Stela Souza.

 

 

 

 

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui