Procuram-se pilotos e comissários!

O crescimento da procura por voos domésticos que foi em média, 23,47% em 2010, segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), reflete diretamente no atual mercado de empregos do setor aéreo brasileiro, que está aberto e sedento por novos pilotos e comissários. Na Bahia, a demanda é tão grande que a Webjet, terceira maior companhia aérea do Brasil, busca profissionais recém-saídos das escolas de aviação civil, através da realização de um processo seletivo na própria sede de um dos cursos em Salvador, o que acontecerá já na próxima semana.

É uma tendência em todo o país o fato de que, apesar de haver uma grande oferta de vagas, a formação de novos aeronautas não acompanha o crescimento dessa demanda. A economia em alta e o aumento do poder de compra da classe C alavancaram as vendas de passagens aéreas, o que movimentou o setor com tanta força que o crescimento da demanda das companhias aéreas gerou um déficit de profissionais.

De acordo com Carlos Bayer, piloto e coordenador da Escola de Aviação Civil Aeronautas, a aviação brasileira cresce 5,6% ao ano e, somado à expectativa da Copa do Mundo, com o recebimento de novas aeronaves, isso faz com que, mensalmente, cada companhia necessite contratar de 60 a 100 novos profissionais. Atualmente, em todo o território nacional, seis companhias aéreas operam voos domésticos e internacionais e outras cinco apenas voos regionais, além das empresas de táxi aéreo.

“É notório e evidente que a busca por contratações nesse segmento vem crescendo consideravelmente nos últimos anos. Tanto que nesta escola possuímos três turmas para comissários com 20 alunos cada e todas estão lotadas”, afirmou Bayer. Ele ressalta ainda que, para os pilotos, além da aviação comercial, há ainda a opção da aviação executiva.

Procurada, a Anac disse não reconhecer a existência de déficit de profissionais, mas garante que o número de carteiras emitidas pela agência tem se mantido alto nos últimos três anos. Apenas em 2010, mais de três mil novos profissionais foram licenciados para voar em todo o país.

Salários altos
O alto investimento que os interessados precisam fazer durante os cursos de capacitação e formação das Escolas de Aviação Civil são compensados posteriormente pela significativa remuneração.

Para os comissários de bordo, os cursos variam de R$ 1,7 mil a R$ 2 mil e os salários ficam em torno de R$ 2 mil a R$ 4 mil. Já para os pilotos podem variar de R$ 12,8 mil a R$ 50 mil a depender da categoria escolhida. Os salários ficam em torno de R$ 5 mil a R$ 8 mil para co-pilotos e R$ 8 mil a R$ 16 mil, para pilotos mais experientes.


Fonte: Cristiane Felix / Tribuna da Bahia

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui