Presidente diz que Ceará vai passar o Bahia e ficar no top 10 do Brasil

Presidente diz que Ceará vai passar o Bahia e ficar no top 10 do Brasil. Foto: Marcelo Vidal

A boa temporada de 2020 não é vista pelo Ceará como o ápice. Segundo o presidente Robinson de Castro, o objetivo do clube é ultrapassar o Bahia e ficar entre os dez maiores do Brasil. A declaração foi dada em entrevista ao site Espn.com.br.

“Sempre disse que o nosso primeiro passo era sermos o melhor time do Nordeste. Sempre disse também que o Bahia estava um pouquinho na nossa frente, mas nós vamos passar o Bahia, vamos estar entre os dez do Brasil. Mas, temos que considerar que os demais clubes do país tiveram o privilégio de contar com o Clube dos Treze, que tinha 20 clubes”, afirmou. “Passaram décadas recebendo receitas milionárias independentemente da divisão. O Ceará nunca teve essa oportunidade. Tivemos que evoluir com as próprias pernas, sem privilégios. Nunca tivemos tratamento diferente. Isso não é reclamação, foi aprendizado e estamos colhendo hoje esses frutos. Estamos olhando para o futuro que nos espera”, continuou.

Em 2020, o Ceará conquistou a Copa do Nordeste, com uma campanha invicta, e tem feito uma boa participação no Campeonato Brasileiro ocupando a 12ª colocação com 46 pontos e, neste momento, está na zona de classificação à Copa Sul-Americana. O bom desempenho em campo teve ajuda do meia Vina, conhecido como Vinícius nos tempos que jogava pelo Bahia. Ele é um dos grandes destaques do ano e chegou a ser especulado em clubes como Corinthians, Flamengo e do exterior. No entanto, o clube cearense acertou a renovação de contrato com o jogador por mais duas temporadas. Para o presidente, o crescimento do Vozão vem acontecendo de forma consistente.

“O Ceará vem fazendo a lição de casa há muito tempo. Temos uma organização financeira desde que assumimos. Não só nas finanças, mas na parte interna também, no futebol como um todo, consultorias, relacionamento com nosso sócio torcedor, licenciamento de produtos e o varejo… Um conjunto de ações que desenvolvemos ao longo dos anos e, a chegada do Ceará à Série A, foi fundamental para que tivéssemos capital e dar uma oxigenação para o nosso crescimento”, disse. “Mesmo com a pandemia, o Ceará estava preparado para o momento. Foi um baque econômico mundial, mas tínhamos uma musculatura para vencer isso. Agimos com tranquilidade. Em comparação com os demais times da Série A, mantivemos o salário em dia, está tudo pago e, para isso, a gente criou alternativa de receitas, tivemos uma inadimplência de apenas 1% do nosso sócio torcedor. Tivemos receitas de vendas de atletas e o nosso próprio desempenho técnico, campeão da Copa do Nordeste, chegamos às quartas de final da Copa do Brasil, fomos carregando passivos para administrar melhor. Temos crédito na praça também, até com valores fora da curva. Mas conseguimos passar por tudo com uma certa tranquilidade”, completou.

O Ceará entra em campo neste sábado (20), às 18h30, para enfrentar o Coritiba, no Couto Pereira, pela 37ª rodada do Brasileirão.

Fonte: Bahia Notícias

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui