Prefeitura de Prado intensifica ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti

Prefeitura de Prado intensifica ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti. Fotos: Ascom

Assim que as fortes chuvas que caíram em Prado nos últimos dias cessaram, a Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Saúde iniciou um trabalho preventivo para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor potencial da dengue, da febre amarela, chikungunya e do zika vírus. A ação está sendo realizada nos bairros da cidade, pelos os agentes de endemias. Eles inspecionam possíveis focos do mosquito e orientam a comunidade neste período pós-chuva.

De acordo com a secretária de Saúde, Neuziane Mascarenhas, é importante que esta ação seja realizada agora, quando a água da chuva pode se acumular em potenciais criadouros do mosquito. “Nós estamos fazendo um mapeamento. Com isso a gente identifica os criadouros e a situação de infestação do município, o que permite que se direcionem as ações para as áreas mais critica”, disse.

É importante o apoio da população para auxiliar o poder público no combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, uma vez que cerca de 80% dos focos são encontrados dentro das residências. “Estamos fazendo o nosso papel tanto nas atividades de combate quanto com ações educativas de conscientização. Mas precisamos contar com o apoio maciço da população que deve nos ajudar nessa guerra contra o mosquito que é diário e dentro de casa”, afirmou.

O tempo que o mosquito leva para se desenvolver a partir do ovo até se tornar adulto é de sete a dez dias. Já nestes primeiros dias sem chuva, os agentes encontraram algumas larvas. A interrupção desse ciclo é a maneira mais eficaz de se evitar surtos das doenças que ele transmite. Mesmo com a ação da Secretaria Municipal de Saúde, através dos Agentes, é de extrema importância que todos fiquem atentos e procurem por locais em que a água da chuva pode ter ficado represada.

A regra básica é uma só: não deixar que a água fique parada em qualquer tipo de recipiente. Vidros, potes, pratos, vasos de plantas ou flores, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhado ou até uma simples tampinha de garrafa podem armazenar água suficiente para se transformar em criadouros do Aedes Aegypti! Fora isso, é bom lembrar também de manter recipientes como caixas d’agua, barris, tambores, tanques e cisternas devidamente fechados.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui