Prefeito de Candiba é indiciado em operação Imperador, da Polícia Federal

alt

Prefeito de Candiba, Reginaldo Martins

O prefeito de Candiba, no sudoeste do estado, Reginaldo Martins Prado (PSD) foi indiciado na Operação “Imperador” da Polícia Federal (PF), que investiga fraudes em verbas de transporte escolar. Um sócio diretor de um escritório de contabilidade, ainda não identificado, de Guanambi, também é acusado na operação. Na quinta-feira (5), ação prendeu o prefeito de Riacho de Santana, Tito Eugênio Cardoso (PDT), além de um secretário e um vereador, acusados no crime. A suspeita é que uma empresa fantasma criada para dar aparência de legalidade faturou mais de R$ 3 milhões entre 2009 e 2010. Segundo o delegado federal Ricardo Kolbe, o prefeito de Candiba era responsável pelo fornecimento de “ônibus fictícios” usados em Riacho de Santana. A empresa fantasma, responsável pelo pagamento, teria transferido um montante de R$ 135 mil ao gestor candibense, no mandato anterior dele, em 2009. Ainda segundo o delegado, o contador responsável pela empresa de fachada já foi afastado das funções. O depoimento de Reginaldo Prado está marcado para esta sexta-feira (13) na sede da PF em Vitória da Conquista. Tanto o prefeito de Candiba, como o contador, vão responder pela prática dos crimes previstos no artigo 1o, I, do Decreto-Lei 201/67 (crime de responsabilidade dos Prefeitos), nas Leis 8.666/93 (fraude à licitação), 9.034/95 (crime organizado), e nos artigos 288 e 312 do Código Penal (associação criminosa e peculato). Caso sejam condenados nas penas máximas, podem pegar mais de 30 anos de reclusão.

Fonte: Tribuna Popular

Foto: Tribuna Popular

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui