Ponte do rio Jequitinhonha: uma tragédia anunciada?

Mesmo com cerca de 3 mil veículos passando diariamente no local, DNIT ainda não informou a real situação da obra, apesar das solicitações do CREA/BA e da OAB Subseção Eunápolis

Diariamente, milhares de veículos, incluindo caminhões pesados e ônibus, atravessam os mais de 500 metros da ponte que foi inaugurada em 1957 e recebeu a sua última reforma há 38 anos (1980). Fotos reprodução WhatsApp

Medo e insegurança, essas palavras definem bem a sensação de quem atravessa a ponte do Rio Jequitinhonha na BR-101, próxima ao município de Itapebi no Sul do estado. Buracos, rachaduras e ferrugens já estão à mostra, além de alguns pilares de sustentação que aparentam empeno em relação ao prumo que sustenta a ponte. Esses são alguns dos problemas encontrados por moradores e viajantes que todos os dias precisam atravessar o rio Jequitinhonha.

Vizinha dos municípios de Itagimirim e Mascote, Itapebi fica a 47 quilômetros de Eunápolis e a 350 quilômetros da capital Salvador. Todos os dias, milhares de veículos, incluindo caminhões pesados e ônibus atravessam os mais de 500 metros da ponte que foi inaugurada em 1957 e recebeu a sua última reforma há 38 anos (1980). Segundo o caminhoneiro especialista em transporte de produtos inflamáveis, Frank Lamark Borges Brito, que constantemente passa pela ponte, a sensação de uma possível tragédia preocupa bastante na hora de atravessar o local, “com o tipo de produto que eu transporto, a insegurança aumenta ainda mais sobre essa ponte. Uma fatalidade sem precedentes poderia acontecer. Alguma coisa precisa ser feita, e rápido”, disse.

Buracos, rachaduras e ferrugens já estão à mostra, além de alguns pilares de sustentação que aparentam empeno em relação ao prumo que sustenta a ponte

E se a insegurança já causa preocupação para quem passa por cima da ponte, quem vai por baixo também sente medo, como é o caso do aposentado, Antônio Carlos da Silva Santos, que mora próximo à ponte e utiliza uma pequena embarcação para se locomover. “Às vezes eu venho aqui para tentar pegar um peixe e da forma como ela (ponte), está aqui embaixo não tem como não ficar com medo de coisa pior acontecer. Faz anos que isso está assim e ninguém faz nada”, afirmou.

Mobilização da OAB – Subseção Eunápolis

Por conta da notoriedade dos problemas apresentados e das supostas condições de risco da ponte do rio Jequitinhonha, a OAB – Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção Eunápolis, por meio da Comissão do Meio Ambiente, oficiou o DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes, solicitando a elaboração urgente de Laudo Técnico para certificar as reais condições estruturais da ponte do rio Jequitinhonha na BR 101. Segundo o presidente da OAB Subseção de Eunápolis, Alex Ornelas, o objetivo é que sejam tomadas as medidas de reparo e contenção imediata para que não haja maior exposição das pessoas à riscos eminentes. “Nós não fizemos nenhum juízo de valoração sobre a ponte estar em boas condições ou se oferece riscos, porém, solicitamos a elaboração do Laudo Técnico para nos certificarmos das condições estruturais da ponte”, declarou.

OAB – Subseção Eunápolis, solicitou ao DNIT a elaboração urgente de Laudo Técnico para certificar as reais condições estruturais da ponte do rio Jequitinhonha na BR-101

CREA/BA – Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia

De acordo com a diretora da Associenge – Associação dos Engenheiros e Técnicos da Costa do Descobrimento e 2ª vice-presidente do CREA/BA, Karen Daniela, a Associação e o Conselho foram informalmente avisados pelo superintendente do DNIT no estado, Amaury Lima, sobre a publicação, na modalidade de pregão eletrônico, de um edital que será lançado amanhã, 28 de novembro, para contratação de uma empresa que executará os serviços de manutenção das pontes Catolé e Jequitinhonha. O pregão já está marcado para o dia 12 de dezembro às 15h. “A presidência do CREA/BA, já havia solicitado ao DNIT informações para ficarmos atualizados quanto à situação atual e quais providências serão tomadas, sendo que uma das prioridades do CREA é a defesa da sociedade, e para isso, sempre alerta os órgãos públicos para fazerem manutenção preventiva de obras”, finalizou.

O CREA/BA, já havia solicitado ao DNIT informações sobre a situação atual e quais providências serão tomadas

DNIT ainda não se manifestou oficialmente

O Jornal OSollo entrou em contato com a coordenadora de comunicação social do DNIT, Paula Edith Behrends Luz, que afirmou não ter recebido os dados oficiais dos setores responsáveis pela ponte até o fechamento desta matéria, mesmo com as solicitações da OAB – Ordens dos Advogados do Brasil e do CREA/BA sobre quais seriam as reais condições da obra e se existem riscos eminentes de desabamento da ponte que corta rio Jequitinhonha.

1 COMENTÁRIO

  1. Informo que o Crea assim que tomou conhecimento das fotos na rede social manteve contato com o DNIT e foi prontamente respondido a situação do processo licitatório de manutenção/recuperação da ponte. Posteriormente recebemos este e-mail.
    Prezado,

    Informamos que o projeto executivo encontra-se aprovado. O DNIT já havia lançado essa licitação que foi deserta, isto é, não houve participação de empresas.
    Já encontra-se em fase de licitação interna o processo para contratação de empresa para a execução dos serviços das pontes Catolé e Jequitinhonha, cujo a licitação, modalidade Pregão Eletrônico, será publicada no DOU de amanhã, dia 28/11/2018. O Edital será nº 419/2018, marcado para o dia 12/12/2018 às 15:00 (horário de Brasília).

    Andréa Coelho Cupertino Ruas
    Chefe do Núcleo de Comunicação Social/SR/DNIT/BA

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui