PALCO DA VIDA

A vida é como um enorme palco
Um palco onde não existe ensaios…
Neste palco somos autores da nossa própria obra, protagonistas…coadjuvantes…espectadores passivos ou meros figurantes…
Vítimas de nosso próprio pessimismo…
Podemos permanecer nos bastidores da estagnação ou no camarim da ousadia…
Onde realmente nos encontramos?
As cortinas descerram, modificando os cenários
Entre a ribata e os holofotes
Deslumbramos as plateias
Arrancamos aplausos…
ou o emudecer das reações
Ficamos atolados com o papel cênico da vida
O meu palco opaco de ilusões… se desmoronou
As cortinas se cerraram
As luzes se apagaram…
Um novo palco foi criado…
Um projeto de um novo cenário…
Um papel de encenações com personagens reais
Preparo-me para uma nova arte…
Eu sou o palco… o teu palco…
Tu… és a minha plateia…
E qual o desfecho deste espetáculo?
Ninguém sabe… não foi escrito…
Não foi encenado…não foi ensaiado…
Foi apenas e só representado e contracenado no palco da minha vida…

Nota: O conteúdo aqui publicado é de inteira responsabilidade do colunista que assina o texto.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui