PAFS promove “Dia de campo preservar para produzir” em Eunápolis

Imagem: Divulgação

Durante esta manhã de quinta-feira (11), o Programa Ambiente Florestal Sustentável (PAFS) está realizando o “Dia de Campo Preservar para Produzir” em Eunápolis (BA).

O evento acontece na Fazenda Nossa Senhora Aparecida III (10 km de Eunápolis, na BR-367, sentido Porto Seguro), do proprietário Valter Piol (Grupo Primavera Brasil), e tem o objetivo de divulgar temas importantes para quem trabalha com a terra, como crimes ambientais, preservação de recursos hídricos e prevenção e controle de incêndios florestais.

A programação do evento conta com a apresentação dos resultados e diretrizes do PAFS, com Epaminondas Junior (coordenador técnico da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia – Adab) e Paulo Andrade (coordenador do programa).

E, na sequência, as palestras: “Crimes Ambientais”, com o dr. Antônio Maurício Soares Magnavita (promotor de Justiça Ambiental de Porto Seguro/BA); “Preservação de recursos hídricos”, com a dra. Patrícia Neves (coordenadora regional extremo sul da Bahia do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Inema) e “Incêndios florestais: prevenção e combate”, com Valnilson Dias Pereira (analista florestal, Programa Produtor Florestal – Veracel Celulose S.A.).

Ao final, o Momento plantar para preservar, com plantio de mudas nativas.

“Acreditamos que, cada vez mais, com as junções de forças e boas iniciativas como essas, aliadas às ações públicas e privadas que visam, através da educação, troca de convencimento e informação, promover o melhor desenvolvimento sustentável de nossas atividades rurais. Por isso, cremos que o PAFS está em pleno alinhamento com o que acreditamos e seguimos no nossa lema ‘Juntos somos mais’”, declarou o presidente da Associação dos Produtores de Eucalipto do Extremo Sul da Bahia (Aspex), Gleyson Araújo.

“Além de informar sobre importantes tópicos para a diversificação e sustentabilidade da atividade agropecuária, o objetivo da ABAF com este programa é estimular a produção e processamento da madeira plantada. A Bahia ainda não produz (e processa) a madeira plantada suficiente para atender a demanda do estado e muito disso se dá pela falta de conhecimento sobre o setor. Trabalhamos, inclusive, para a inclusão dos pequenos e médios produtores e processadores de madeira para uso múltiplo, visando o atendimento da demanda por móveis, peças e partes de madeira na Bahia – hoje atendida, na sua maior parte, por outros estados brasileiros”, acrescenta Wilson Andrade, diretor executivo da ABAF.

PAFS – Promovendo a diversificação das atividades agropecuárias

A ABAF lançou o Programa Ambiente Florestal Sustentável (PAFS) no final de 2016. Este programa é uma ampliação do Programa Fitossanitário de Controle da Lagarta Parda (PFCLP), lançado pela Adab e ABAF em 2015, visando o monitoramento e controle da lagarta parda no sul e extremo sul da Bahia. Com o sucesso do PFCLP, o programa foi ampliado com novos temas relevantes para a sustentabilidade e promoção da diversificação das atividades agropecuárias.

O PAFS vem trabalhando temas relativos à educação ambiental em diversas comunidades rurais:

Uso múltiplo da floresta plantada/Programa mais árvores Bahia; Regulamentação ambiental das propriedades rurais (Código Florestal/ CAR/ Cefir); Integração lavoura, pecuária e floresta (ILPF)/Plano ABC; Preservação dos recursos hídricos; Prevenção e controle de incêndios florestais; Controle de gado nas áreas de preservação; Combate ao carvão ilegal, além de manter o Programa Fitossanitário de Pragas.

Para isso, foi elaborado um amplo programa de comunicação e foi montada e orientada uma equipe de engenheiros (agrônomos e florestais) que vem trabalhando com uma estrutura formada por veículos, equipamentos audiovisuais, campanha publicitária e material informativo. Entre as atividades que fazem parte da rotina dos profissionais, destaque para o monitoramento de defesa sanitária animal, fiscalização da presença de gado em APP, visita a propriedades rurais, notificação e termo de advertência, palestra em comunidades rurais, associações e escolas.

Desde o seu início, o PAFS já percorreu mais de 132 mil quilômetros; realizou 173 treinamentos em 158 comunidades; instruiu e orientou mais de 6,8 mil produtores rurais de frutas, eucalipto, café, entre outras culturas, da região e estudantes. Apenas em 2018, foram mais de 48 mil quilômetros rodados, 44 treinamentos em 37 comunidades com mais de 2 mil pessoas capacitadas.

“O resultado tem sido muito positivo graças às parcerias feitas com o Governo do Estado, através da Seagri e Adab; Sindicados Rurais da FAEB/Senar e Prefeituras, através de suas secretarias de agricultura e meio ambiente. Acreditamos que a responsabilidade de uma produção rural sustentável tem que ser de todos nós”, informa Paulo Andrade, coordenador do programa.

A Abaf e o setor florestal – A indústria de base florestal usa a madeira como matéria-prima, com destaque para a produção de celulose, celulose solúvel, papel, ferro liga, madeira tratada, carvão vegetal e lenha para o processamento de grãos. A madeira utilizada é plantada e é considerada uma matéria-prima renovável, reciclável e amigável ao meio ambiente, à biodiversidade e à vida humana. A ABAF representa (desde 2004) as empresas de base florestal do estado, assim como os seus fornecedores, e tem como meta primeira contribuir para que o setor que representa se desenvolva sobre bases sustentáveis. Atualmente tem como associados: Aepes, Aiba, Aspex, Assosil, BSC, Caravelas Florestas, ERB, Ferbasa, Floryl, JSL, Komatsu, Papaiz, Ponsse, Proden, Sineflor, Suzano, Veracel e 2Tree.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui