‘O menino que descobriu o vento’ é exibido no Cetepes através do Coletivo das Artes Motirô

Fotos: Divulgação

No último sábado, dia 13 de abril, o Coletivo das Artes Motirô realizou mais uma sessão do Cineclube Sal na pipoca. O evento aconteceu no auditório do Centro Territorial De Educação Profissional do Extremo Sul (Cetepes), firmando mais uma vez a parceria com a instituição.

Foi exibido o filme O menino que descobriu o vento, um longa-metragem dirigido por Chiwetel Ejiofor e que traz a história de um menino de Malawi, no continente africano. Ele teria por “missão” salvar a sua família e comunidade em que vive da fome.

Sempre esforçando-se para adquirir conhecimentos cada vez mais diversificados, um jovem de Malawi se cansa de assistir todos os colegas de seu vilarejo passando por dificuldades e começa a desenvolver uma inovadora turbina de vento

Trata-se de um filme baseado em fatos reais o ocorridos no país. Diante da falta de mantimentos em sua vila, o menino inventou um sistema de captação de energia eólica. Isso possibilitou bombear água para o cultivo de alimentos na seca.

O auditório esteve atento às reflexões a partir do filme

Além de dirigir, Ejiofor, o diretor, é também ator. Ele representa, na trama, o pai do menino William, interpretado pelo queniano Maxwell Simba. Este é a primeira atuação do queniano e tem arrancado aplausos da crítica.

O filme é a história verídica de William Kamkwamba. Ele tornou-se conhecido mundialmente por sua invenção e se formou engenheiro na Universidade de Dartmouth. Para o crítico Octavio Caruso: “A viagem emocional de um pai e seu filho excepcional em seu coração, captura a determinação incrível de um menino cuja mente inquisitiva superou todos os obstáculos em seu caminho.”

O cineclube também reserva um momento para debate

Um filme cravejado de emoções, reflexões, e, acima de tudo, pleno de humanidade.
As professoras Tamires Persan e Gilmara Neves e demais professores da instituição conduziram com maestria os estudantes que participaram do debate mediado pelo estudioso de cinema Carlos Greco.

Mais um cineclube realizado

O coletivo das Artes Motirô agradece ao diretor Petrônio Bonfim e à vice-diretora Talita Neves pela dedicação e empenho em permitir atividades como essa, fomentando a cultura e o acesso à sétima arte.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui