O caminho cristão

 

“Ele respondeu: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todas as suas forças e de todo o seu entendimento’ e ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Disse Jesus: Você respondeu corretamente. Faça isso, e viverá.” (Lucas 10.27-28)

O caminho do Reino, o seguimento a Jesus, se realiza assim: amando a Deus e ao próximo. É no amor que teremos olhos e ouvidos para perceber e conhecer Deus do modo como Jesus o revelou. A partir dos registros das Escrituras podemos tirar conclusões sobre Deus, assim como pela observação e estudo da natureza, visto que “os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento, a obra de suas mãos” (Sl 19.1). Mas, conhecer a Deus, só mesmo envolvidos e desafiados pelo amor. Se Deus é amor, como João afirma em sua carta (1 Jo 4.8), tudo no universo tem origem no amor e o amor é a maior potência transformadora que se pode conhecer. Diz o texto de Gênesis que Jacó trabalhou sete anos por Raquel. E acrescenta: “mas lhe pareceram poucos dias, pelo tanto que a amava” (Gn 29.20). O amor é mais forte que o tempo. Quando a esperança não for mais necessária e quando a fé não tiver mais serventia, o amor ainda estará na agenda da vida (1 Co 13.3).

Quando vivemos nossa espiritualidade a partir do amor, nos sentimos frágeis em lugar de nos sentirmos poderosos. Sentimos nossa mais completa incompetência, mas não de um jeito ruim. Crescemos na consciência de nossa incompetência para o que há de mais importante: o amor. Tão facilmente nos faltam condições para amar. Tão cedo desistimos de agir amorosamente. Tão prontamente inserimos na relação o julgamento e a justificativa para não amar ou até mesmo uma boa razão para matar. Voltando a Gênesis, o texto narra uma pergunta de Deus a Caim:  “Onde está o teu irmão?” (Gn 4.9). O amor pergunta pelas pessoas. O Deus que ama quer saber se estamos amando. O poder também gera interesse pelo outro, mas de forma completamente diferente, por razões distintas e com objetivos que o colocam em risco. O amor não é um lugar fácil, ou um caminho para o qual estamos capacitados sozinhos. Por isso Deus nos amou.

Porque Deus nos amou, podemos amar. E quanto mais nos virmos envoltos no amor de Deus mais ofereceremos nosso amor aos outros. A fé cristã é a fé dos que creram no amor de Deus e por isso sabem que devem amar. A missão cristã é amar em nome de Deus, para que cada pessoa consiga perceber que não foi esquecida ou rejeitada pelo  Criador. A adoração cristã é viver diariamente essa missão. E a santidade? Envolvidos nos amor somos convertidos à santidade. Mas a medida dela não está nos critérios de nossa religiosidade. Só Deus sabe, de fato, quem está em pé ou caído (Rm 14.4). O amor gera santos e servos. Servos que não buscam fazer para merecer, mas que fazem porque receberam sem merecer. Que nossa vida seja cristã e se for, será marcada pelo amor! Porque, definitivamente, é o amor o caminho cristão.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui