Novas perspectivas

“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” (Mateus 6.33)

“Todos essas coisas lhes serão acrescentadas”. Esta facilmente pode tornar-se a parte do versículo que mais nos atrairá. Há muitas pessoas desenvolvendo uma fé baseada nos acréscimos que esperam ter com ela. É como que um “investimento sobrenatural”, tendo Deus como garantia, livre das oscilações e riscos do mercado. A única oscilação é a própria fé. E aí mergulha-se numa teologia governada por “crer o bastante”, “tomar posse”, em que se canta que “minha benção vai chegar”, que faz de Jacó o símbolo da persistência e desafia o cristão lutar com o anjo para receber sua benção. O segredo é persistir, insistir, lutar, crer e obrigar Deus a dar o que queremos!

Mas se seguirmos essa teologia nossa fé se desvirtuará. Estaremos nos desviando exatamente do que deveríamos buscar – o Reino e justiça de Deus. Estaremos seguindo o fluxo do reino dos homens por meio de uma fé interesseira. A benção que o Reino e a justiça de Deus nos trazem começa justamente com uma mudança em nossa visão de mundo. E quanto mais buscamos, mais somos transformados. “Todas essas coisas” começam a receber um novo significado, começamos a superar as ilusões que os bens materiais facilmente provocam em gente como nós. Mudanças profundas, de perspectivas, começam a acontecer. Passamos a discernir entre desejos e necessidades e nos tornamos mais livres.

Sem essa libertação que a busca do Reino e da justiça de Deus nos proporcionam, navegaremos pela vida sob a constante ameaça de insatisfação. O que nos traz satisfação não é o fato de possuirmos coisas ou desfrutarmos prazeres. Não é mais feliz quem realiza mais desejos. A satisfação só vem quando nossas fomes verdadeiras, e não as ilusórias, são saciadas. E é quando o Reino e a justiça de Deus passam a ser encontrados por nós que isso acontece. Jesus está nos dizendo como fazer do novo ano o que de melhor ele pode ser, independente do que nos aconteça. Podemos seguir nossas próprias ideias ou crer em Cristo. Esta é uma decisão muito importante a tomar sobre seu ano novo.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui