Momentos com Deus

“Quando me deito lembro-me de ti; penso em ti durante as vigílias da noite. Porque és a minha ajuda, canto de alegria à sombra das tuas asas. A minha alma apega-se a ti; a tua mão direita me sustém.” (Salmos 63.6-8)

Cada momento com Deus pode nos mudar para sempre. Isso dependerá de nós. Cada momento de verdadeiro encontro, de verdadeiro envolvimento, confissão, anseio e fé, naquela experiência que Jesus descreveu como o quarto de portas fechadas, nos torna quem ainda não éramos, para nunca mais deixarmos de ser, se assim quisermos. Deus pode estar presente em qualquer lugar, e todo lugar ao mesmo tempo. Não há limite físico para Ele. É também uma presença possível no tempo passado, presente e futuro – algo estranho para nós. Deus preenche não apenas salas, mas também dias. Não apenas espaços, mas também o tempo e vidas. Ele é o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Deus jamais foi. Ele sempre é e sempre será. Davi se vê marcado pela presença de Deus e a revisita na memória. Ao pensar em Deus nas vigílias da noite, há salmos em que Davi o faz lutando e se angustiando. Em outros, celebrando e descansando. Davi muda e Deus está sempre lá. O mesmo!

Davi aprendeu a ser ajudado por Deus. Deus tornou-se a sua ajuda, o seu lugar seguro. Talvez a imagem de pintinhos abrigados sob as asas de uma galinha tenha sido sua inspiração para declarar no salmo: eu canto de alegria à sombra das tuas asas. Já vi essa cena e lendo o salmo, ela me veio prontamente à memória. A presença de Deus lhe dava segurança. Ele estava escrevendo seu salmo em momentos de aflição, como já mencionamos. Em fuga, para salvar a própria vida, pois estava sob ameaça. Ou do rei Saul a quem devotou completa fidelidade ou de seu próprio filho, a quem amou com todo coração. Ambos deveriam honrá-lo, mas se tivessem tido a chance, o teriam matado. Sofrendo perseguição em retribuição à sua fidelidade, Davi bem poderia optar pela amargura ou descrença em Deus. Mas buscou em meio a crise a presença de Deus, o amor de Deus, a comunhão com Deus. E isso fez toda diferença. Isso o tornou um salmista em lugar de um tirano. Um homem cheio de gratidão e adoração. A presença de Deus nos faz mais que vencedores, pois com Ele todas as coisas acabam resultando em bem, e não em mal (Rm 8.28).

Davi trilhou o caminho do apego a Deus. Praticou perseverantemente o anseio por Sua presença. Aprendeu a viver sustentado pela Mão de Deus – “a tua mão direita me sustém”. A mão direta simboliza pacto, compromisso. Davi se vê ligado a Deus, por iniciativa de Deus. Deus lhe ofereceu aliança. Esse é o jeito constante de Deus. Ele está sempre oferecendo aliança. Nas palavras de Jesus no Apocalipse: “Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo.” (Ap 3.20). Aproveite esse tempo de mudança em sua agenda e invista em sua relação com Deus. Clame por Ele. Creia em Seu amor. Aprenda a andar com Deus. Fique quieto, em silêncio. Ou fale. Mas seja completamente você diante dele. Leia salmos e pense em Deus. Lembre-se das bençãos e dádivas recebidas. Lembre-se das dores e frustrações. Tudo cabe numa conversa com Deus. Aproveite. “O Senhor está perto de todos os que o invocam, de todos os que o invocam com sinceridade.” (Sl 145.1)

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui