Mirabela: rompimento de barragem na BA poderia prejudicar Itacaré e outros municípios

Há 4 anos, uma ambientalista afirmou que a barragem da Mirabela, localizada há 1 km do rio das Contas, entre Itagibá e Ipiaú, na Bahia, apresentava fissuras graves e havia o risco de uma tragédia.

Barragem da Mineradora Mirabela. Foto: Google Maps

No entanto, à época, a empresa de mesmo nome, responsável pela barragem, negou a informação e explicou que o índice de segurança é medido em uma escala de fator que vai de 0 a 4, sendo que quanto menor o número, maior o risco. Como exemplo, detalhou que a barragem de Mariana tinha um fator de segurança em 1,22 e 1,32 respectivamente. Já a barragem da Mirabela tem fator de segurança 3. Sendo que o índice mínimo de segurança aceitável é de 1,5.

Na imagem de satélite mostra a proximidade entre a barragem e o rio das Constas

 

Após a tragédia em Brumadinho/MG, que já computa mais vítimas que a de Mariana, ocorrida em 2015, o Brasil está de alerta quanto aos riscos das barragens das empresas de mineração, sobretudo pelo fato de que a tragédia recente não fora anunciada, uma vez que eram baixos os níveis de risco em Brumadinho.

Agora, pelo WhatsApp e outras redes sociais, vem à pauta o tema ‘Barragem de Ipiaú’, cujo alerta chama atenção para necessária investigação a fim de evitar uma tragédia na Bahia, que atingiria o rio de Contas e, além de ceifar vidas, prejudicaria o potencial turístico da região de Barra do Rocha, Ubatã, Ubaitaba, Aurelino Leal, Taboquinhas e Itacaré, onde o rio das Contas deságua no mar.

A barragem a que o post se refere é a Mirabela, entre Ipiaú e Itagibá, a mesma citada pela ambientalista em 2015. Embora a empresa tenha negado o risco, Cláudio da Cruz Lima, gerente regional da ANM na Bahia, informa que “as barragens que têm mais alto potencial de dano são as localizadas em Jacobina (2), Santa Luz (1) e Itagibá (1), mas elas estão sendo monitoradas, inclusive presencialmente, e as empresas estão cumprindo os condicionantes impostos pela ANM. Apesar disso, a gente vai intensificar o monitoramento das barragens, e, a partir da semana que vem, já vamos fazer uma reunião para retraçar os planos de monitoramento das barragens aqui na Bahia”, completou Lima.

A Bahia tem um número muito menor de barragens de rejeitos, em relação a Minas Gerais. No estado baiano são 14, mas, somente Mirabela e outras três oferece risco, mas, seguem monitoradas.

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui