Merval ou um d no lugar do v?

Causa asco ver e ouvir os comentários políticos de Merval Pereira na Globo News. De fio a pavio, Merval só enxerga Aécio do Bem em seus comentários. Tudo para esse poseur esticadinho é bom para Aécio, até frio no Polo Norte. O que se pede não é parcialidade, ao contrário, um mínimo de imparcialidade. Também, com a grana que Aécio deu à Globo para pagar dívidas…

Vergonha midiática.

Alás, a Globo…

Cada dia mais fica patente a preferência da Globo e da Veja pelo senhor Aécio Neves. Claro que têm direito a opção que desejem. O que não têm direito é de deturpar informações e omitir malefícios de Aécio, como desavergonhadamente vêm fazendo. O eleitor vota em quem quer, mas não pode ser enganado pelos meios de comunicação.

Isso, no mínimo, é crime.

Erlita

Temos em mãos a entrevista do juiz Argenildo Fernandes sobre a inspeção que fez na Secretaria de Assuntos Extraordinários, sob denúncia contra procedimento da vereadora Erlita Freitas. Em momento algum o juiz fala em doação de cestas básicas por parte da candidata. Esse beletrista confirmou isso com o Dr. Argenildo em particular. Não houve nada de cesta básica ou prisão.

Quem afirma isso é mentiroso. Pra variar.

Aviso aos navegantes

O prefeito João Bosco avisa que vai revidar na justiça (já que não lhe dão direito de resposta) a todas as acusações mentirosas que lhe são feitas, além dos insultos caluniosos. A ideia é uma só: a cada mentira uma ação cível e outra criminal.

Acusações sem prova só merecem isso.

Indignidade

Há uma página no facebook, denominada Dignidade Médica, que afirma contar com mais de 100.000 adeptos, que se intitulam médicos ou profissionais da área e que se comprazem em colocações que atacam a presidente Dilma. Depois da escorchante vitória da presidente no Nordeste, o mínimo que a tal página pediu foi castração química dos nordestinos. O Conselho Federal de Medicina, com sede em Brasília, reagiu em nota oficial:

“O Conselho Federal de Medicina (CFM) é contra qualquer comentário ou ação que denote atitude preconceituosa praticada por qualquer pessoa por conta de aspectos como etnia, origem geográfica, gênero, religião, classe social, escolaridade, orientação sexual ou posicionamento ideológico, entre outros. Esse entendimento representa a percepção da classe médica brasileira.

Para a Autarquia, o Brasil é um país democrático, onde todos os cidadãos devem e podem manifestar suas opiniões, inclusive políticas. No entanto, esta expressão deve ter como parâmetros o comportamento ético e o respeito às leis. Casos que extrapolem esses limites, devem ser investigados pelas autoridades competentes.”

Falou pesado e bem.

“O mal é o que sai da boca do homem”.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui