Marlim de quase 400 quilos é capturado em Torneio realizado em Santo André

O peixe é considerado um dos seis maiores já pescado na Bahia em todos os tempos

Foi impressionante, para dizer o mínimo, a primeira etapa estadual do Torneio de Pesca Oceânica realizada em Santo André, distrito de Cabrália, entre os dias 1 e 4 de dezembro. Para quem tinha dúvida de que a cidade faria parte da rota de pesca do famoso marlim azul, a captura no dia 2, pelo barco Malu, comandando pelo capitão Luis Carvalho, de um marlim de 375 quilos resolveu a questão, confirmando a opinião dos pescadores de que a região é a melhor no que se refere à pesca do marlim ou bico azul, como é chamado pelos pescadores, conforme informa o superintendente do Yacht Clube da Bahia, Antônio Fernandes: “o Torneio foi incrível, acho que esse peixe foi o maior que já vi e com certeza está entre os seis maiores já pescados na Bahia”, declarou empolgado.

Graças ao contato feito pelo prefeito Jorge Pontes com o deputado estadual, Leur Lomanto Júnior e com o Yacht Clube da Bahia, a etapa do Torneio de Pesca Oceânica, foi um sucesso de público, reunindo 10 embarcações, sendo destas oito de Salvador, uma de Fortaleza e outra do Recife. Sucesso comprovado pelos participantes, que conforme explica Alexandre Guedes, diretor de Pesca do Yacht Clube, foram unânimes em afirmar que Santo André teve o seu primeiro, de muitos torneios. “A etapa foi excelente, tanto que os pescadores chegaram a esquecer o horário da competição, retornando inclusive fora do prazo. Tudo perfeito, a estrutura do distrito e as condições para pesca. Com certeza voltaremos nos próximos anos e logo tornaremos essa uma etapa nacional”, ressaltou o diretor que agradeceu o total apoio que recebeu da prefeitura e, especialmente, do prefeito Jorge Pontes.

O Torneio não reuniu apenas pescadores, mas também suas famílias, que lotaram as pousadas de Santo André, trazendo uma nova alternativa turística e de renda para a localidade, no entanto, existem também famílias que pescam unidas. Enquanto as mulheres, em geral, aguardam os maridos durante a pescaria, uma mulher se destaca, por acompanhar o esposo e ainda, conforme opinião de todos os pescadores, ser muito boa na pesca. Uma das únicas mulheres a praticar pesca oceânica no Brasil, Ana Zonari aproveitou a etapa de Santo André. “As condições em Cabrália são ótimas, a barra é de fácil acesso, não existem problemas de maré. E a região é belíssima, com diversos atrativos, visitei Coroa Vermelha, Porto Seguro e Trancoso, fiquei encantada”, explicou a pescadora.

Opinião confirmada por um dos mais antigos pescadores de marlin azul, que pesca desde 1977, Paulo Cecchetti, segundo ele, que já conhecia Santo André, Cabrália se encontra situada, dentro da área denominada Royal Charlotte, a melhor do mundo no que se refere à pesca do marlim azul. “A pesca aqui é muito interessante, gosto muito do local e a surpresa do marlin de quase 400 quilos coroou o evento”.

Para o prefeito Jorge Pontes, que fez questão de estar presente acompanhando o evento, o Torneio é mais uma forma de criar alternativas de renda e de um turismo diferenciado para Cabrália, por isso garantiu que no próximo ano se colocará novamente à disposição para auxiliar na realização da segunda etapa do Torneio. “Trabalhamos para que Cabrália tenha cada vez mais possibilidades de se desenvolver, reconhecemos a importância da pesca, do turismo e do esporte para o município, três setores envolvidos por este evento. É com iniciativas como estas que vamos levar o nome de nosso município para todo o Brasil”, registrou o prefeito, que também falou de boas novas para a cidade, como a revitalização da Tarifa, que será entregue aos pescadores locais no próximo dia 8/12.

Como funciona o Torneio de Pesca Oceânica

A área Royal Charlotte, principal morada do famoso marlim azul é onde é realizada a pesca do Torneio, ficando situada a cerca de 40 milhas de distância (duas horas de barco). O pesqueiro é um banco de corais subaquático, uma espécie de terraço submarino, que possui grande biodiversidade, recebendo atenção especial de muitos estudiosos e amantes da pesca esportiva. O marlim é considerado o peixe mais difícil de ser vencido na pesca de linha, causando furor nos pescadores e elevando sua captura ao status de prêmio maior dos mares, principalmente quando se consegue um marlim como o capturado pelo barco Malu, de quase 400 quilos. Para se ter uma ideia do tamanho do peixe, a equipe não conseguiu embarca-lo, tendo que traze-lo a reboque.

O campeonato, dividido em duas categorias, Bico (marlim azul) e Costeira (demais peixes como dourado e cavala), reforça a pesca ecologicamente correta, já que os participantes têm de liberar os peixes que estão abaixo do peso permitido. No caso do marlim são liberados os peixes com menos de 150 quilos, após filmagem que confirma a captura e no caso de outros peixes, o peso mínimo é de três quilos.

Conheça os campeões

Assim, em Santo André a competição teve como vencedores as seguintes embarcações e suas equipes:

– Bico Azul:
1 Lugar – Barco Dodó IV, comandado por Roberto Costa
Maior Captura – Barco Malu, comandado por Luis Carvalho

– Costeira:
1 Lugar e Maior Captura – Barco Mahi-Mahi, comandado por Ângelo Sá

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui