Mãe faz campanha por R$ 100 mil para cirurgia do filho e ganha adesão de Ivete e outros artistas: ‘Luta diária’

Mãe faz campanha para arrecadar R$ 100 mil para cirurgia do filho (Foto: Arquivo pessoal)

“É uma luta diária”. Assim a baiana Mariana Castro Cylindro, de 36 anos, resume o esforço que tem feito para poder realizar uma cirurgia no filho de 3 anos de idade, que sofre de uma doença rara no coração. Desde o final de julho, ela iniciou uma campanha nas redes sociais para tentar arrecadar R$ 100 mil reais para que a criança possa realizar o procedimento em São Paulo. A atitude da mãe já comoveu artistas que compartilharam a campanha, como a cantora Ivete Sangalo.

O filho, o pequeno Ricardo Castro Cylindro, chamado carinhosamente de Ricardinho, sofre de Síndrome de Hipoplasia do Ventrículo Esquerdo e já teve de realizar duas cirurgias desde que nasceu. O primeiro procedimento foi feito quando ele tinha apenas cinco dias de vida, e o segundo quando completou três meses. A nova cirurgia, conforme a mãe, será a última e acontecerá na Beneficência Portuguesa de SP.

Ivete compartilhou campanha de criança em seu perfil no Instagram (Foto: Reprodução/Instagram)

Mariana disse que começou a campanha, intitulada “Ajude Ricardinho!”, no dia 27 de junho e que, em pouco mais de 20 dias, já conseguiu reunir R$ 23 mil para o terceiro procedimento. “Os médicos disseram que o caso dele é grave e que ele precisa dessa cirurgia”, conta a mãe, que afirma ter descoberto o problema no filho ainda na gravidez. Ricardinho é o único filho dela.

Mariana conta que a cada seis meses viaja para o filho para São Paulo, onde o menino realiza o tratamento. “Aqui em Salvador ele também tem uma cardiologista, mas desde que começou o tratamento, a gente realiza o procedimento todo em São Paulo. E somente lá é que ele pode fazer essa terceira cirurgia. Aqui, a gente viu que não faz”, destacou.

A mãe diz que somente a cirurgia custa R$ 84 mil, mas que precisa de mais dinheiro para arcar com os custos com a viagem para São Paulo. “Eu vou para acompanhar ele e vamos precisar de hospedagem, alimentação e tudo mais”, diz.

“É uma luta diária, mas eu tenho fé que tudo vai dar certo”, diz mãe.

Segundo Mariana, na última vez que foi a São Paulo, os médicos disseram que a terceira cirurgia precisa ser feita o quanto antes.

“A gente foi em junho a última vez, e a médica nem queria liberar ele. Disse que o procedimento precisa ser feito com urgência. O problema dele é que o ventrículo esquerdo, que joga o sangue para o corpo, não funcionava direito. Ele ficava com a mão e os lábios roxos e com a oxigenação baixa. Isso foi corrigido com as duas primeiras cirurgias, que foram paleativas, mas é preciso de uma terceira, que é definitiva e particular. O médico dele está no exterior e vai estar disponível para o procedimento em agosto. Por isso estamos tentanto arrecadar o dinheiro o quanto antes”, destaca.

“Em casa, eu tenho um oxímetro pra sempre medir a saturação de oxigênio dele, mas ele não precisa ir direto no médico. Somente a cada seis meses. Ele brinca, é uma criança normal, bem agitado. Ama música e é apaixonado por Leo Santana. E a gente até tem que controlar as brincadeiras, porque ele se cansa muito fácil”, disse.

Amigos e vizinhos realizaram feijoada para arrecadar dinheiro para cirurgia de menino (Foto: Arquivo pessoal)

Mariana ainda destacou a adesão de artistas nas redes sociais e disse que isso está sendo importante. Ivete compartilhou a campanha em seu perfil na rede social Instagram.

“A campanha foi organizada por mim e conta com apoio de amigos e vizinhos. Fazemos postagens nas redes sociais pedindo ajuda, e artistas como Ivete, André Lellis, Adelmo Casé e jogadores de futebol já compartilharam. Já fizemos feijoada para arrecadar dinheiro e, no próximo domingo [dia 23 de julho], vamos fazer outro evento. Um vizinho cedeu uma casa para a gente poder fazer uma festa e vender comidas e bebidas. Qualquer pessoa pode ir, mas a nossa expectativa é reunir até 700 pessoas”, destaca a mulher, que mora com o filho no Jardim das Margaridas, em Salvador.

A doença

A cardiopediatra Zilma Verçosa explica que a Hipoplasia do Ventrículo Esquerdo é uma doença rara e que pode passar dos pais para os filhos. Segundo a especialista, a pessoa que nasce com esse problema vai precisar de um acompanhamento médico e muitos terão de usar medicamento por toda vida.

“As crianças que nascem com esse problema passam geralmente por três cirurgias na vida, e todas são paleativas porque não conseguem resolver por completo o problema. No entanto, a criança pode se desenvolver e viver bem. É preciso um acompanhamento durante toda a vida. Esse acompanhamento depende de cada paciente. Pode ocorrer uma vez a cada três meses”, destaca.

A especialista também afirma que quem nasce com a doença fica impossibilitado de fazer exercícios físicos de alta performance. “Impede a pessoa de ser um atleta, por exemplo. Mas ela pode fazer caminhadas e exercídios mais leves. Isso pode ser hereditário. É mais provável que aconteça quando já se tem um parente de primeiro grau que tenha desenvolvido a doença”, destaca, mas é raro”, pontua.

COMO AJUDAR

Os interessados em ajudar Ricardinho podem entrar em contato com os familiares do menino através do telefone (71) 9 9982-0971.

1 COMENTÁRIO

  1. Deus estar no comando e tudo vai dar certo com certeza esse valor vai sim estar na conta no dia certo para ser feita a cirurgia do Ricardinho que Deus abençoe a todos

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui