Itamari: Polícia Federal cumpre mandados de condução coercitivas em segunda fase da operação nota Zero, que denuncia desvios de recursos do FUNDEB

alt

A Polícia Federal (PF) cumpriu nesta terça-feira (5/7) mandados de condução coercitiva, busca e apreensão e de medidas cautelares na prefeitura de Itamarí, em ações da segunda fase da Operação Nota Zero, que investiga desvio de recursos do Fundeb. Segundo o delegado da PF, Rodrigo Kolbe, responsável pelo caso, professores da rede pública municipal de Itamari confirmaram a fraude. Os educadores disseram que não ministravam as aulas e que assinavam cadernetas falsas a pedido da Secretária de Educação do município, que também é a primeira-dama da cidade. Suspeitos de participação no esquema, o prefeito Valter Andrade Junior (PC do B), a primeira-dama do município e o Procurador foram afastados das funções públicas e proibidos de acessar repartições públicas e municipais de Itamari. De acordo com a PF, o Ministério da Educação repassou R$ 4.217.603,07 ao município, em 2013, para o custeio das atividades da rede escolar municipal. A verba, por sua vez, foi desviada para outros fins. O delegado Kolbe informou que até o momento não se sabe ao certo quanto deste montante foi desviado e para quais finalidades.

A Polícia Federal (PF) cumpriu nesta terça-feira (5/7) mandados de condução coercitiva, busca e apreensão e de medidas cautelares na prefeitura de Itamarí, em ações da segunda fase da Operação Nota Zero, que investiga desvio de recursos do Fundeb. Segundo o delegado da PF, Rodrigo Kolbe, responsável pelo caso, professores da rede pública municipal de Itamari confirmaram a fraude. Os educadores disseram que não ministravam as aulas e que assinavam cadernetas falsas a pedido da Secretária de Educação do município, que também é a primeira-dama da cidade. Suspeitos de participação no esquema, o prefeito Valter Andrade Junior (PC do B), a primeira-dama do município e o Procurador foram afastados das funções públicas e proibidos de acessar repartições públicas e municipais de Itamari. De acordo com a PF, o Ministério da Educação repassou R$ 4.217.603,07 ao município, em 2013, para o custeio das atividades da rede escolar municipal. A verba, por sua vez, foi desviada para outros fins. O delegado Kolbe informou que até o momento não se sabe ao certo quanto deste montante foi desviado e para quais finalidades.

Fonte: Jequié Repórter

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui