Itabuna: Milhares de manifestantes invadem as ruas

Itabuna viveu na tarde desta quinta-feira, 20, um momento histórico, exercendo a cidadania e civismo o povo em um só grito exigiu do poder executivo transparência, eficiência e moralidade nos gastos públicos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O manifesto tomou as principais ruas da cidade, a passeata saiu da praça do bairro São Caetano, com parada para manifesto em frente à Prefeitura de Itabuna, passando pelo Jardim do Ó, Avenida do Cinquentenário, e terminando no final da Avenida Juracy Magalhães. As ruas da cidades ficaram pintadas de verde e amarelo, cor utilizada para mostrar e chamar as pessoas que passavam que o momento era esse: “Vem pra rua, vem pra rua!”.

Prefeitura

O ponto crítico da manifestação foi quando a multidão parou em frente ao Centro Administrativo Firmino Alves (Prefeitura), e começaram a gritar “Vane cadê você, eu vim aqui só pra te ver!” ou “Vane covarde!”.

Foi formada uma comissão pelos líderes do movimento que foram recebidos pela secretária de Administração, Mariana Alcântara. Alguns manifestantes tentaram forçar a entrada da prefeitura sendo impedidos e vaiados por outros que não queriam atos de vandalismos.

Movimento LGBT

Membros do grupo LGBT da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) chegaram a levantar a bandeirado arco-íris na porta da Igreja. Eles criticaram o projeto aprovado esta semana pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara, presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), que, na prática, libera profissionais de psicologia a tentarem curar a homossexualidade. O projeto está conhecido como “Cura Gay”.

Comércio

Na Avenida do Cinquentenário, os comerciantes, temendo represálias, fecharam as portas dos estabelecimentos comerciais, a PM acompanhou toada movimentação, mas sem interferir.

Alguns entraram em confronto com seguranças do Supermercado Meira, obrigando-os a fechar as portas do estabelecimento, em seguida deram ordem para que o Pai Mendonça também fechasse.

PM

Polícia militar e Agentes de trânsito acompanharam toda a manifestação. O trabalho da polícia chegou a ser apaludido por parte dos manifestantes, que mencionaram que tudo corria em paz. O Comando do 15º Batalhão de Polícia Militar acionou todos os Militares que estavam na folga e também guarnições da CAERC ou CIPE Cacaueira para conter, caso fosse necessário, os excessos durante o ato público. Porém, o movimento aconteceu de forma ordeira.

Hino Nacional

Diversas vezes os manifestantes cantaram hino nacional, emocionando participantes e até aqueles que assistiam ao manifesto.

Participantes

O manifesto que que começou com quase 2 mil pessoas aumentou durante o percurso. A estimativa inicial é de que mais de 5 mil pessoas participaram do movimento.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 









Fonte: Radar Notícias

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui