Itabuna: Fórum de Saúde alinhou ações da Saúde Regional junto a Sesab

Prefeitos e secretários municipais de saúde dos municípios que integram a Microrregião de Itabuna e Ilhéus estiveram reunidos na tarde da última quinta-feira, 26, na Uesc, com a Diretora de Controle da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia – Sesab, Ana Paula Santana, que apresentou dados da Central de Regulação de Saúde para a construção de um diagnóstico situacional e a necessidade de regulação de 100% dos serviços que estão sendo contratualizados pelo Governo Estadual, através do aporte de R$ 1 milhão mensais.

De acordo com o presidente da Amurc, Lenildo Santana, a partir das informações do Estado, os municípios ganham uma condição de sistematizar os dados locais na forma de estudo para estar discutindo a continuidade desse trabalho junto ao Ministério da Saúde e a Secretaria de Saúde do Estado. Enquanto isso, alguns procedimentos estarão sendo oferecidos em parceria do Estado com a Prefeitura de Itabuna, a exemplo de alguns serviços da Média e Alta Complexidade, como cirurgias que já estarão disponíveis para atendimento da população regional em Itabuna, a partir do mês de março.

A regularização dos demais serviços de saúde está sendo definida pela Amurc, Prefeitura Municipal de Itabuna e a Sesab. “A parceria da Amurc não vem só para esse processo de incorporação de recursos para o financiamento da assistência em Itabuna, especificamente, mas, para uma necessidade de interlocução regional, tanto a região de Itabuna como a de Ilhéus, na conscientização dos outros municípios, enquanto o papel de cada um para fortalecer essa região de saúde, fortalecendo também o papel do Estado no processo regulatório”, destacou a Diretora de Controle da Sesab.

Com o objetivo de facilitar e democratizar o acesso aos serviços de saúde na região, Ana Paula destacou que os serviços contratados pelo Estado deverão ser solicitados pelos municípios via Central de Regulação em Itabuna. “Não será “porta aberta”, pois dá a impressão de que “bate na porta” e esta sempre fechada. Quando regulado a gente consegue classificar o paciente e identificar quem é paciente e disponibilizar o serviço que, efetivamente dará resolutividade”, declarou a representante da Sesab.

Ainda de acordo com Ana Paula, o processo de continuidade dos serviços de saúde é o passo inicial, dentro do plano de ação da secretária do Estado, que é divido em curto, médio e longo prazo. Dentre os desafios, ela apontou a necessidade de melhorar outros serviços que estão funcionando, mas de forma precária. “Eu não tenho dúvida que, com o apoio da Amurc a gente vai conseguir avançar significativamente nesse processo de interlocução, de entendimento, de que a gente entende que é o ideal que uma rede consolidada”, concluiu.

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui