Itabuna: Diversidade cultural é a marca da Feira Literária

A diversidade cultural marca a Feira Literária de Itabuna – Felita que até domingo tem uma programação que inclui poesia, oficinas, leitura de contos conversa com os escritores brasileiros Wesley Correia e Roberto Pereyr e com o angolano Ondjaki. A Felita foi aberta na noite de quinta-feira, no auditório da Ação Fraternal de Itabuna, com declamações de trechos do livro “As Velhas”, do escritor itajuipense Adonias Filho, cujo centenário de nascimento transcorre em 2015 e por isso está sendo homenageado.

Neste sábado, a programação prossegue com lançamentos artísticos, oficinas e espaço para as crianças. Às 10 horas está programado o Bate Papo sobre o tema “Literatura Amadiana” contando com a participação da escritora Paloma Jorge Amado, filha do escritor, com mediação do jornalista Daniel Thame. Também são destaques da programação a oficina de Poesia, com João Filho; Espaço Orfeu, com os escritores Aleilton Fonseca, Sérgio Di Ramos, Gluaber Soares, Juvino Alves Filho, Ana Beatriz Brandão, Ondjak, Rita Santana, Daniela Galdino, Nelson Maca e Nivea Maria Vasconcelos.

Hoje, às 11 horas, acontece o lançamento do livro “A Comida Baiana de Jorge Amado”, de Paloma Jorge Amado. Entre as 9 e 12 e 14 e 17 horas a Felita é dedicada às crianças que podem se divertir no Espaço a elas dedicado. Também há mostra das atividades artísticas da “Casas das Artes”, mantida pela FICC, oficina sore História Social da Bahia, dentre outras atividades.

Na noite de abertura a vida e obra de Adonias Filho foi tema do “Palavra por Palavra”, que reuniu os escritores Cyro de Mattos e Tica Simões, sob a mediação da professora Silmara Oliveira. Na cerimônia oficial, o presidente da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC), Roberto José da Silva, destacou que a Felita representa a reinserção de Itabuna no cenário literário baiano, principalmente pelo estímulo à produção cultural, à leitura e à promoção do livro. No encerramento houve a apresentação de poesias e música com Lorenza Mucida e a Banda Enttropia, e o espetáculo musical com a atração especial Banda Distinto Blue.

Já o vice-prefeito Wenceslau Junior, que representou o prefeito Claudevane Leite, falou dos investimentos que a Prefeitura de Itabuna vem fazendo na área cultural, inclusive com a destinação de mais recursos orçamentários. “Atualmente, o município destina 1% das receitas próprias anuais de R$ 250 milhões à FICC e a atividades culturais da Secretaria Municipal da Educação e Fundação Marimbeta. Isto representa a valorização da cultura que cria oportunidades aos produtores culturais, artistas e escritores e à juventude”, afirmou.

Para o escritor e curador da Felita, Gustavo Felicíssimo, é gratificante a realização do evento que visa estimular a leitura como um dos pontos primordiais para o processo de educação e da cultura. “Tivemos uma noite mágica, com apresentações e debates interessantes sobre a vida do escritor Adonias Filho. A felicidade é presentear Itabuna com esse evento cultural. Estamos confiantes no sucesso da Felita pela boa participação popular”, expressou. Além de ser evento público, com acesso gratuito, as pessoas podem adquirir obras literárias nos estantes montados na área interna da AFI.

O presidente da FICC, Roberto José da Silva, afirma que com uma programação eclética, a Felita já se tornou destaque na agenda cultural do estado da Bahia. “Estamos com uma programação intensa nessa primeira edição. Com muitas atividades culturais, além de escritores regionais com destaque nacional participando de debates. Tudo isso sem deixar de valorizar a interação entre artistas e o público,” explicou Roberto José da Silva.

________________

Prefeitura de Itabuna

 

 

 

 

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui