Israelenses usam ratos para detectar bomba pelo cheiro

Empresa diz que roedores distinguem melhor terrorista com explosivo que escâner de corpo

Em breve, os ratos poderão se juntar às máquinas de raio X nos aeroportos. Os roedores fazem parte de uma unidade de detecção de bomba criada por uma empresa de tecnologia israelense chamada BioExpress.

A empresa diz que ratos treinados são melhores que escâneres de corpo para distinguir um passageiro de um terrorista carregando explosivos.A informação foi revelada nesta quinta-feira (3) pelo site da revista científica New Scientist.

Eran Lumbroso criou o detetctor de explosivos enquanto servia como major na Marinha israelense. Junto com o irmão, Aron, ele fundou a empresa e desenvolveu um dispositivo que parece muito com um detector de metais de aeroporto ou com um escâner de corpo inteiro.

Ao longo de um vão, uma unidade de detecção contém três cartuchos, cada qual com oito ratos. Durante seus turnos de quatro horas no detector, os ratos ficam soltos em uma área comum em cada cartucho enquanto o ar passa sobre pessoas que estão debaixo do vão e através do cartucho. Quando os ratos farejam traços de um dos oito tipos de explosivos no ar, eles são treinados para evitar o cheiro e fugir para uma câmara lateral, disparando um alarme.

Para evitar alarmes falsos, mais de um rato precisa entrar no compartimento ao mesmo tempo. Eran explica que é como se eles estivessem “cheirando um gato e fugindo”, acrescentando que o aparelho detecta justamente a fuga. Ao contrário dos cachorros, que geralmente são treinados para detectar explosivos e drogas, os ratos não exigem uma interação constante com os treinadores ou ameaças para mantê-los motivados. O resultado é que eles conseguem viver em gaiolas confortáveis com acesso ilimitado a comida e água.

Cada rato deverá trabalhar quatro horas por dia e ter uma “vida útil” de um ano e meio. Além disso, os ratos vencem os cachorros em talento olfativo. Os cães têm 756 genes de recepção olfativa enquanto os ratos têm 1.120, o que resulta em um sentido mais agudo do olfato.

Ataques recentes como o ocorrido ao aeroporto russo de Domodedovo, em Moscou, estão despertando interesse por novos métodos para manter os viajantes seguros. Alternativas mais simples podem conquistar mais as pessoas do que os escâneres de corpo inteiro, que as expõem a radiações nocivas e que invadem sua privacidade.

.O blogueiro especializado em segurança Bruce Schneier diz que “os narizes dos animais sempre são uma boa solução, e que os ratos não veem as pessoas nuas”. No entanto, o blogueiro diz que existem alguns inconvenientes, como a necessidade de limpeza constante nas gaiolas, além do fato de os novos ratos terem de ser treinados todo o tempo por causa de sua curta vida útil no trabalho. Além disso, embora sejam úteis com explosivos, os ratos não podem substituir escâneres de bagagem e detectores de metal.

Mesmo assim, o primeiro teste com os ratos cheiradores de bombas foi realizado em dezembro do ano passado em um shopping center de Tel Aviv, em Israel. Mais de mil pessoas passaram pelo detector, 22 das quais esconderam explosivos nos bolsos ou debaixo da camisa. Todos os 22 pacotes foram detectados, dizem os irmãos, acrescentando que a taxa de alarme falso foi de menos de 0,1%.


Fonte: R7

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui