Inglaterra suspende quase todas restrições contra a covid-19

A Inglaterra se tornou nesta segunda-feira (19) o primeiro país do Reino Unido a suspender praticamente todas as restrições impostas durante a pandemia para combater a covid-19.

Veja o que muda a partir deste 19 de julho:

  • Fim do uso obrigatório de máscaras em ambientes públicos
  • Fim de restrições a reuniões e encontros
  • Empresas que mantinham trabalho remoto podem voltar ao modo presencial
  • Fim das de medidas de distanciamento social
  • Reabertura de casas noturnas e boates
  • Fim do limite de capacidade em hospitais e até estádios

O uso da máscara deixou de ser obrigatório, mas ainda é recomendado no transporte público e dentro das lojas, e o fim das medidas não vale para os outros países do Reino Unido (Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte).

O dia de hoje foi batizado de “Freedom Day” e foi possível devido à vacinação avançada. Mas o aumento no número de casos confirmados, tanto na Inglaterra quanto nos outros países do Reino Unido, preocupa.

O governo britânico, porém, alertou que o distanciamento social ainda é obrigatório para quem testar positivo para o vírus ou tiver algum contato com pessoas infectadas. Algumas lojas e meios de transporte também podem seguir exigindo o uso de máscara, caso acreditem ser necessário, e o distanciamento de 1 metro entre pessoas será mantido em hospitais e aeroportos.

O próprio primeiro-ministro, Boris Johnson, está em isolamento após encontrar com uma pessoa que testou positivo. Segundo seu gabinete, Johnson permanecerá afastado até o dia 26 de julho.

A mudança nas restrições também inclui algumas mudanças nas limitações para viagens. Britânicos totalmente vacinados que retornarem ao Reino Unido de países considerados de risco moderado para a Covid-19 não precisam mais cumprir quarentena obrigatória e as recomendações contra viagens a esses locais foram retiradas.

Pessoas que estão trabalhando em regime home office também foram aconselhadas a retornar aos escritórios de forma gradual. O governo, porém, aconselhou aos britânicos que sempre que possível se reúnam com amigos e familiares em locais abertos. Bares, boates e outros locais de grande lotação também estão sendo encorajados a exigir comprovante de vacinação ou teste negativo de seus clientes, apesar da solicitação não ser obrigatória.

A suspensão das limitações estava marcada para quatro semanas atrás, mas sofreu adiamentos com o objetivo de ampliar o público vacinado. Nesse período, 8 milhões de pessoas foram imunizadas. Mais de dois terços dos adultos britânicos estão completamente vacinados.

Entretanto, uma nova alta gera preocupação entre os especialistas. Na última sexta-feira 16, o país registrou 51.870 novos casos do coronavírus e 49 mortes. Essa foi a primeira vez desde 15 de janeiro que o índice ultrapassa os 50.000 casos.

A maior parte da população adulta do Reino Unido foi vacinada com as duas doses, o que levou a uma redução no número de internações e mortes. No entanto, o número de casos no país está aumentando e, com o encerramento das medidas de restrição, o cenário pode piorar.

Compilação G1, Veja e CNN Brasil

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui