Inadimplência do consumidor registra a quinta alta mensal consecutiva

Dívidas com cartões de crédito e financeiras foram as principais responsáveis pela elevação do índice

Endividado com as compras parceladas nas datas comemorativas e nos feriados prolongados, o consumidor ainda está enfrentando problemas na hora de pagar suas dívidas. O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor aponta alta de 1,6% em setembro, na comparação com o mês anterior, representando crescimento seguido desde maio deste ano e a maior alta para o mês de setembro desde 2000, quando foi criado o indicador.

Na avaliação anual – setembro em relação ao mesmo mês do ano passado –, a inadimplência do consumidor cresceu 15,3%, representando o maior resultado desde março de 2009, quando o país passava pela crise financeira global. Na análise dos acumulados – janeiro a setembro de 2010/2009 –, o indicador apresentou alta de 1,8%, a segunda variação positiva entre os acumulados desde janeiro deste ano.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a inadimplência do consumidor continua ganhando força na mesma direção do endividamento, porém a evolução da renda e do emprego formal tem ajudado a evitar um crescimento acelerado do índice. A perspectiva é de que a inadimplência sofra pressões em outubro, por causa do Dia das Crianças. Segundo o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, divulgado no último dia 13, foi a melhor data para o comércio em 2010 até agora, com crescimento de 12,0% nas vendas.

Pelo sétimo mês consecutivo, a inadimplência com cartões de crédito e financeiras registra alta. Na decomposição do indicador, essa modalidade puxou o crescimento do índice, contribuindo com 2,5% no resultado. As dívidas com os bancos apresentaram uma ligeira alta (0,2%), contribuindo com apenas 0,1% no indicador. Já os títulos protestados e os cheques sem fundos registraram queda e acabaram contribuindo negativamente com 0,2% e 0,8%, respectivamente.

Cresce valor das dívidas com cheques sem fundos

De janeiro a setembro de 2010, em comparação com o mesmo período do ano anterior, o valor médio das dívidas com cheques sem fundos teve alta de 29,1%. Os títulos protestados e cartões de crédito e financeiras também apresentaram crescimento de 6,9% e 4,9%, respectivamente. Já as dívidas com os bancos registraram queda de 1,6%, e foram a única modalidade de inadimplência com variação negativa.

Metodologia do Indicador

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência do Consumidor considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados, dívidas vencidas com instituições financeiras e cartões de crédito e financeiras. Por analisar eventos ocorridos em todo o Brasil, o indicador reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional.

Fonte: Serasa Experian

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui