Ilhéus: Presidiários usam rede social para comandar crimes, denuncia Aspra

Segundo a associação, dois detentos estariam se comunicando com familiares e outros criminosos através do Facebook

Detentos do presídio Ariston Cardoso, na cidade de Ilhéus, Sul baiano, estariam comandando crime através das redes sociais. A denúncia partiu da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares do Estado da Bahia (Aspra), que divulgou no site da associação diversas fotos que comprovariam o fato.

Os presidiários atualizam suas páginas pessoas no Facebook, publicando fotos e conteúdos através de celulares mesmo durante o cumprimento da pena. De acordo com a Aspra, investigações da associação apontam que existe comunicação entre dois detentos do presídio Ariston Cardoso com dois homens que parecem estar soltos. Eles também fazem apologia ao uso de drogas e ameaçam inimigos de facções rivais através do Facebook.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A associação identificou os prováveis presidiários como Neto Bastos e Carlos Roberto. Os homens com que eles estariam se comunicando e comandando crimes através da rede foram identificados pela Aspra como Pawlista Faccionário, Medeiros Neto e um outro perfil fake com o nme de Raio B Conquista – uma facção criminosa que nasceu no presídio de Itabuna e tem disputas com a facção Raio A.

Também há menções de uma outra facção criminosa, o Primeiro Comando do Interior, mais conhecido como PCI. Ainda conforme a denúncia da Aspra, policiais que trabalham na segurança do presídio de Ilhéus relataram que os telefones celulares deles não funcionam na unidade prisional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A reportagem tentou contato com a Secretaria de Administração Presidiária e Ressocialização (Seap) em busca de um pronunciamento sobre as denúncias, mas não obteve resposta.

 

 

Fonte: Correio

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui