Fibria registra desempenho recorde na produção de mudas de eucalipto

Fibria registra desempenho recorde na produção de mudas de eucalipto. Foto Ascom

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, a Fibria desenvolve o Projeto Floresta Inteligente, investindo em soluções tecnológicas para aprimorar o processo produtivo.  Essas ações também envolvem os viveiros, onde são produzidas as mudas de eucalipto que formam os plantios florestais da empresa. Ao longo de 2018, estão sendo investidos cerca de R$ 6 milhões em melhorias que permitirão à Fibria encerrar o ano com produção recorde de 66 milhões de mudas.

A Unidade Aracruz da Fibria conta com dois viveiros para produzir as mudas de eucalipto que leva a campo: um em Aracruz (ES) e outro em Helvécia (Nova Viçosa/BA). A quantidade produzida, entretanto, não é o único resultado relevante. A qualidade das mudas também foi aprimorada, com 90% delas classificadas nos padrões A e B, que refletem o melhor desempenho nesse quesito. Na outra ponta, a utilização de água no processo foi reduzida em quase 40%, em comparação ao ano anterior. Esse resultado deve-se à alteração do tipo de substrato utilizado na produção das mudas, aos ajustes realizados no sistema de irrigação de ambos os viveiros e no maior reaproveitamento de água de chuva, que alinham produtividade com sustentabilidade.

Rodrigo Zagonel, gerente de Silvicultura e Viveiro da Fibria, destaca que o aprimoramento de aspectos relacionados ao manejo e a utilização de recursos tecnológicos têm contribuído para potencializar os resultados nos viveiros. A empresa aprimorou desde o substrato usado no plantio das mudas até a infraestrutura, no caso do viveiro do sul da Bahia, que proporciona maior automatização do processo no que se refere à irrigação e à fertilização. Foram instalados controladores de eletrocondutividade em todas as etapas do viveiro, tanto em Aracruz quanto em Helvécia, proporcionando maior assertividade na concentração dos fertilizantes aplicados nas mudas durante a irrigação.

No viveiro de Helvécia, as intervenções incluem a substituição dos tetos da Casa de Vegetação e a troca do sistema de irrigação. Os tetos, que eram retráteis, foram trocados por estruturas fixas, que permitem melhor vedação e melhores condições para o desenvolvimento das mudas. Tudo isso reflete na qualidade do enraizamento e na redução do tempo de formação da muda. Se antes as mudas podiam ser plantadas com cerca de 90 a 100 dias, hoje elas estão prontas para ir a campo com 70 a 80 dias, melhorando o giro dos viveiros.

Os investimentos em melhorias também têm reflexo no aumento de produtividade dos viveiros, que deve encerrar o ano 7% acima da registrada em 2017. A disponibilidade e a qualidade das mudas, assim como o preparo do solo e os tratos culturais, são determinantes para assegurar o suprimento de madeira da fábrica da Fibria.

Floresta Inteligente – O Projeto Floresta Inteligente centraliza ações de novas tecnologias para digitalização da floresta, visando à melhoria da disponibilização de dados para tomada de decisão, ganhos na produtividade, segurança e desenvolvimento dos empregados da Fibria. São quatro frentes de implementação de novas tecnologias: plantio (silvicultura), colheita, logística de madeira e análise sistêmica de dados. Mais de 50 projetos já foram implementados, entre eles a utilização da tecnologia LIDAR – que permite uma visão tridimensional da floresta e auxilia na medição de áreas, relevos e árvores para inventário -, aquisição de caminhões com telemetria e tecnologia T-Winch para colheita em áreas de maior declividade, entre outras iniciativas.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui