Fibria esclarece em nota sobre lama e água barrenta na praia de Nova Viçosa

Segundo moradores, o problema é antigo. Fotos: Reprodução/Sulbahianews

A lama e a água barrenta das praias de Nova Viçosa são os temas mais discutidos pela comunidade e organismos constituídos no município, que decidiram realizar um manifesto contra o desastre ambiental no próximo dia 5 de novembro.

A água da praia está extremamente barrenta, e, segundo os moradores, o problema é antigo, mas piorou no último mês.

Fenômeno que não tem qualquer relação direta com as operações da Fibria

Quando a maré baixa, a quantidade de lama é tão grande que fica difícil andar na praia. Quem mora na região acredita que a lama vem da dragagem no canal do Tomba em Caravelas, onde fica o porto da Fibria.

A Fibria se pronunciou sobre a denúncia e afirma que a lama ou turbidez da água em praias não estão associadas a dragagem.

Leia a nota:

“A respeito dos relatos sobre ocorrência de lama em praias de Nova Viçosa (BA), a Fibria esclarece que todos os estudos realizados mostram que a situação não tem qualquer relação com a operação portuária, dragagem de manutenção do canal do Tomba, em Caravelas (BA), e navegação das barcaças.

A empresa monitora continuamente os níveis de turbidez da água na região e os dados históricos demonstram que fenômenos climáticos, tais como ventos e ondas fortes, influenciam diretamente na turbidez da água, ocasionando a suspensão de sedimentos na região costeira, fenômeno que não tem qualquer relação direta com as operações da Fibria.

A dragagem é realizada anualmente, no período de novembro a março, para assegurar as condições de navegabilidade das embarcações que trafegam na região – inclusive as de pesca e turismo –, e segue a legislação em vigor, obedecendo a Licença de Operação e o Plano anual de dragagem expedidos pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

A Fibria vem dialogando com a comunidade e autoridades locais a fim de esclarecer dúvidas sobre esse processo e está disposta a contribuir com os agentes locais na busca do diagnóstico e da solução da questão.”

Fonte: Sulbahianews

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui