Extremo Sul: Produtores participam de seminário sobre controle da praga do eucalipto

Entre os dias 27 e 29 deste mês, a Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), órgão vinculado à Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), e a Suzano Papel e Celulose estão promovendo uma série de capacitações técnicas no Extremo Sul da Bahia, a exemplo do Seminário Regional para a Cadeia Produtiva da Celulose, que acontece em Teixeira de Freitas. O objetivo é estabelecer medidas de controle da praga Thyrinteina arnobia, lagarta-parda-do-eucalipto, que vem causando danos econômicos na eucaliptocultura da região.

O Seminário Regional para a Cadeia Produtiva da Celulose acontecerá no dia 29, em Teixeira de Freitas, direcionado aos produtores, empresários rurais do segmento, estudantes e pesquisadores de instituições de ensino e pesquisa, comerciantes de insumos agrícolas e funcionários de órgãos públicos, como o Ministério Público, Polícia Militar, secretarias municipais de agricultura e meio ambiente e agentes comunitários de saúde.

Os técnicos da Adab, das secretarias de Agricultura e Meio Ambiente dos municípios e produtores de eucalipto também serão contemplados com aulas teóricas e práticas sobre o manejo da praga, ministradas pelos instrutores da Suzano e da Universidade Federal de Viçosa (UFV-MG). Esta capacitação acontecerá nos dias 27 e 28 de janeiro, em Itabatã, Distrito de Mucuri. “Na prática, o controle da Thyrinteina arnobia mostra-se eficiente quando existe o envolvimento de todos os elos da cadeia produtiva e, para isso, torna-se relevante o conhecimento do manejo da praga e o incentivo para uma ação conjunta”, ressaltou o diretor de Defesa Sanitária Vegetal da Adab, Armando Sá.

Após ciência do conteúdo discutido em reunião na sede da Adab em Salvador, em dezembro do ano passado, com a participação do professor da UFV, Norivaldo dos Anjos Silva, e dos representantes da Suzano, Ricardo Cassamassimo e Edival Valverde Zauza, o diretor geral da Adab, Paulo Emílio Torres, reafirmou a necessidade de uma campanha educativa para apoiar o controle regional da praga com a anuência do órgão estadual de defesa sanitária da Bahia.

Várias espécies de lagartas desfolhadoras atacam os povoamentos de eucalipto, sendo a Thyrinteina arnobia a principal praga, como desfolhadores mais daninhos dessa ordem para a eucaliptocultura brasileira. O dano causado pela T. arnobia e demais lagartas na cultura do eucalipto é o desfolhamento da planta, podendo, em caso de ataques sucessivos, paralisar o seu crescimento.

No País, existem registros de sua ocorrência no Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Essa praga ocorre em quase toda a América do Sul e parte da América Central e, além do Brasil, já foi coletada na Bolívia, Guiana Inglesa, Colômbia, Costa Rica, Guiana Francesa, Panamá, Trinidad, Venezuela e Uruguai (SANTOS et al., 2008).

Fonte: Ascom

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui