Aparelhos eletrônicos podem causar danos à sua visão

Sinais de fadiga visual e coceira nos olhos merecem atenção e visita ao oftalmologista

Já observou quanto tempo do seu dia é dedicado às telas de celular, tablet, computador ou televisão? De acordo com dados do relatório “2018 Global Digital”, da WARE Are Social, somente com a internet, o brasileiro gasta, em média, 9 horas do seu dia, seja trabalhando, assistindo vídeos, estudando ou nas redes sociais. Jovens e crianças representam 70% dos usuários desses equipamentos, como aponta o levantamento do Centro de Estudos para o Desenvolvimento do Sociedade da Informação.

De acordo com a oftalmologista, Laura Yamagata, que atende em Eunápolis, a luz desses aparelhos pode causas danos à visão. “O efeito da radiação emitida pela luz azul de TVs, celulares, computadores e tablets pode gerar uma fototoxicidade, uma lesão na pele semelhante à queimadura solar, nas células da retina. Sem contar que, quando estamos usando esses aparelhos, piscamos uma quantidade menor de vezes e exigimos mais foco do olho, podendo gerar fadiga visual, ardor, prurido e sensação de olho seco. É muito importante ‘piscar os olhos’ de forma correta e constante para ter uma boa lubrificação”, afirma.

A oftalmologista orienta algumas práticas que podem ser aplicadas no dia a dia, para minimizar os impactos causados pela exposição excessiva à luz dos aparelhos. “Para quem trabalha em escritório ou fica muito na frente do computador, é importante que o monitor esteja sempre no mesmo nível do olhar. Caso esteja acima, a musculatura ocular demora mais tempo para renovar a superfície lacrimal, havendo maior chance de gerar um quadro de olho seco”, explicou.

Uma dica importante para quem fica muito tempo frente às telas é fazer pausas pelo menos a cada duas horas seguidas de exposição, o que ajuda a evitar possíveis complicações. A oftalmologista aponta que outro fator adicional é o ar condicionado. “Quando estamos concentrados em uma leitura ou vídeos, piscamos menos, e um ambiente com ar condicionado acaba gerando uma deficiência do filme lacrimal”. Além disso, ajustar as configurações de brilho e contraste das telas é uma alternativa para preservar a saúde dos olhos. No escuro, por exemplo, o alto brilho da tela do celular é desnecessário e, utilizado diariamente, pode até causar danos irreversíveis à visão.

O diagnóstico de problemas visuais gerados pela exposição excessiva a esse tipo de tela é feito em consultas periódicas com um especialista. “Ao sinal de qualquer desconforto, o ideal é realizar uma avaliação com o oftalmologista para orientação e indicação do tratamento que proporcione conforto e proteção à luz. O mercado já disponibiliza lentes fotossensíveis que se ajustam de acordo com a luminosidade do ambiente”, completou a oftalmologista.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui