Estado constrói terminal pesqueiro nas cidades de Salvador e Ilhéus

Para dinamizar a atividade pesqueira baiana, a Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária da Bahia (Seagri), por intermédio da Bahia Pesca, iniciou neste mês a construção do primeiro Terminal Pesqueiro de Salvador. “O investimento é de R$ 10 milhões’, informa o presidente da Bahia Pesca, Isaac Albagli. Segundo ele, quando estiver pronto, o terminal atenderá a aproximadamente 20 mil pescadores de toda o estado, que terão um local apropriado para desembarcar, beneficiar e armazenar sua produção.

Além de Salvador, o município de Ilhéus também está sendo atendida com um terminal pesqueiro, que começou a ser construído em novembro do ano passado. Na capital, o terminal será localizado na Ribeira, na Enseada dos Tainheiros, e sua área de abrangência inclui, além de Salvador, seis municípios do Litoral Norte, nove municípios da Região Metropolitana e sete municípios do Recôncavo Baiano.

“O objetivo é melhorar a qualidade e a produtividade do pescado local, as condições de trabalho do pescador, reduzir o custo do peixe para os moradores da cidade e região, entre outros”, assegura Albagli. O espaço trará benefícios também para os moradores do tradicional bairro da Ribeira, auxiliando, inclusive, no processo de revitalização da orla da Cidade Baixa.

O equipamento ocupará a área do imóvel onde funcionou o antigo restaurante Quintela e que nos últimos anos serviu de abrigo para usuários de drogas e de animais nocivos à saúde pública. O prédio será demolido para implantação do terminal. O otimismo é compartilhado pelo vice-presidente da Federação de Pescadores do Estado da Bahia, Emílio Alves. “Tínhamos um problema de infraestrutura que será finalmente solucionado. Os colegas da região não tinham local para aportar, era tudo feito no improviso. O terminal vai solucionar um problema que temos há décadas”, afirma.

Infraestrutura
Os terminais contarão com unidades de beneficiamento do pescado, apoio e comercialização. O equipamento será dotado de câmaras e túneis de espera, congelamento e estocagem de iscas e refrigerados e casa de máquinas. Na unidade de comercialização, os usuários poderão desfrutar ainda de lanchonete e estacionamento.

A unidade de apoio disponibilizará fábrica de gelo, abastecimento de água e combustível, central de fornecimento de energia, píer de embarque e desembarque, refeitório, sala de rádio, posto bancário, boxes de vendas, almoxarifado, oficina de manutenção de embarcações, carreira com guincho e central de higienização de caixas.

A Bahia é o terceiro maior produtor de pescados do Brasil, com produção estimada em 120 mil toneladas por ano. Entre os grandes produtores do Brasil, é o estado que mais cresce. “Porém, toda produção é levada para ser beneficiada nas suas origens. Aqui não há desembarque industrial de pescados porque não temos infraestrutura portuária. O preço quem paga é o consumidor. Com o terminal pesqueiro essa anomalia será abolida. Ganha o pescador e ganha o consumidor”, completa Isaac Albagli.

De acordo com Isaac Albagli, a construção do terminal está dentro dos planos da Bahia Pesca. A meta é atingir a produção de 140 mil toneladas por ano de pescado, e a liderança no ranking nacional do valor de produção.


Fonte: Agecom

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui