Esquecimento

Um prêmio de 162 milhões da Mega-Sena prescreveu e o dinheiro foi para o Fies, que é um Fundo de Financiamento Estudantil. O que aconteceu? Morte? Esquecimento? Não ter imprimindo o cartão no computador e o HD pifou? Ter feito o jogo e está na UTI agora? Lembrei o acidente na Malásia em que um avião com quase trezentas pessoas desapareceu, ali temos os nomes, mas nada um verdadeiro mistério, aqui nem nome temos, tudo será esquecido, e o mistério é maior.

Os valores vão ajudar milhares de estudantes pobres e sei que cada um de nós  tem uma vida de ir do berço à cova como melhor achar ou puder, mas segue sempre a regra das três etapas: o que se foi, o que está, aí; e o que será. Dessas três a que vivemos é a mais breve e este dinheiro mudaria a vida de qualquer um. A vindoura é duvidosa. A vivida é certa, mas irrevogável. Contra esta última a fortuna perdeu todos os seus direitos, já que não consegue que seu arbítrio possa recuperá-la e mesmo com esta memória ridícula mas  livre de ser ingênuo, ou talvez viveu o contraste da sorte e azar juntos, o ganho da fortuna e a perda da vida. A face possível do passado, talvez seja um epitáfio vago ou o súbito  envelhecimento da memória com o Alzheimer.

Mas uma coisa eu já sei conforme Willian Shakespeare :
“Há mais mistérios entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia.”

*João é natural de Salvador, onde reside. Engenheiro civil e de segurança do trabalho, é perito da Justiça do Trabalho e Federal. Neste espaço, nos apresenta o mundo sob sua ótica. Acompanhe no site www.osollo.com.br.

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui