Enem 2018: 12 questões exigiram mais tempo que o disponível no 2º dia de provas

Foto ilustrativa/Internet

O segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 teve em média 13% das questões (12 das 90) que exigiram mais tempo do que os candidatos dispunham para a resolução. É o que aponta a média de um levantamento feito pelo G1 com dez cursinhos pelo Brasil.

Das 90 questões objetivas, 5 da prova de matemática e 7 da prova de ciências da natureza foram consideradas, pela média das respostas, como trabalhosas. Para serem encaixadas nesta categoria os professores julgam que o candidato levaria mais tempo do que o disponível para resolvê-las. (Considerando o tempo de prova de 5 horas e o total de 90 questões, o tempo médio por item é de menos de 4 minutos.)

Ainda segundo os professores, 92% das questões de matemática e 91% das de ciências da natureza estavam adequadamente contextualizadas, ou seja, o texto-base tradicional do Enem era realmente necessário para que o candidato chegasse à alternativa correta.

Cinco parâmetros

Os professores avaliaram a prova por meio de um questionário em torno de cinco parâmetros:

  1. Nível de dificuldade
  2. Tempo exigido
  3. Importância dos textos-base
  4. Assuntos abordados
  5. Qualidade das questões

Veja abaixo o raio-x das duas provas:

Raio X do Enem 2018 - matemática — Foto: Roberta Jaworsky e Claudia Peixoto/G1
Raio X do Enem 2018 – matemática — Foto: Roberta Jaworsky e Claudia Peixoto/G1

Em matemática, oito dos dez cursinhos avaliaram que havia mais questões de nível fácil do que difícil, e um deles afirmou que houve empate. Além disso, oito dos dez cursinhos afirmaram que houve prevalência de questões de nível médio na prova. A média das respostas indica que, das 45 questões da prova, 16 são fáceis, 19 medianas e 10 são difíceis.

Para oito entre os dez cursinhos, todas as questões exigiram habilidades que estavam previstas na matriz de referência do Enem, que é, basicamente, o “currículo” do ensino médio que os estudantes precisam estudar para se preparar para as provas.

Segundo Tadeu da Ponte, que também avaliou as provas deste domingo (11), a prova de matemática não teve nenhuma questão específica exageradamente longa, “mas há pelo menos 22 questões razoavelmente demoradas, que no conjunto são um problema para os candidatos”. Ele afirmou, ainda, que o equilíbrio das questões nos níveis fácil, médio e difícil estavam adequados.

Fonte: G1

Comente!

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui